Política

MANIFESTAÇÃO NO RIO DE JANEIRO

Ato pelo Fora Temer reúne milhares e vai de Copacabana até o Canecão

segunda-feira 5 de setembro| Edição do dia

1 / 4

Fotos: Juan Pablo Díaz Vio

Neste domingo (04/09) ocorreu o ato “Fora Temer-RJ! O povo tem que decidir” organizado pela Frente Brasil Popular e Frente Povo sem Medo. Segundo os organizadores o ato reuniu 5 mil pessoas que se concentraram as 11h na frente do Hotel Copacabana Palace e seguiram pela Av. Atlântica entrando na Av. Princesa Isabel em sentido Botafogo. Estiveram presentes sindicalistas das Centrais sindicais como a CUT e CTB, militantes de partidos como PT, PcdoB, PSOL e organizações da esquerda como PCB, MRT, LSR (PSOL), MAIS e NOS.


Foto: Mídia Ninja

Diferentemente dos atos das capitais como São Paulo e Porto Alegre que a polícia militar vem reprimindo brutalmente, este ato não sofreu repressão.

A manifestação seguiu pelo túnel Engenheiro Marquês Porto, e terminou na frente do Canecão onde está ocorrendo o OcupaMinc-RJ que será desocupado hoje diante da notificação do governo do estado para a desocupação. Neste domingo ocorreu uma repleta programação artística chamada “Transborda Canecão”.

Carolina Cacau, candidata à vereadora do Rio de Janeiro do Movimento Revolucionário de Trabalhadores (MRT) pelo PSOL, esteve presente no junto com o bloco anticapitalista com a juventude Faísca, estudantes da UERJ, secundaristas, professores, e com a equipe do Esquerda Diário que esteve presente. Cacau disse:

“Viemos às ruas para denunciar o golpe institucional e lutar contra o governo golpista do Temer que veio para atacar ainda mais os trabalhadores, mais do que o PT já vinha atacando e abriu espaço para o avanço desta direita reacionária golpista. E exigir da CUT da CTB que rompam com essa paralisia e organizem desde as bases e construa uma greve geral contra os ajustes.
Estamos nas ruas, mas não pra que nossa luta seja manobrada em defesa do PT e vire um “volta Lula” com as Diretas Já!, assim como as Eleições Gerais, pois não adianta mudar os jogadores sem mudar as regras do jogo. Queremos mudar as regras do jogo desse sistema político podre e corrupto e para combater as reformas em curso, só uma nova Constituinte imposta pela força da mobilização é capaz de atender as demandas dos trabalhadores da juventude, das mulheres, negros e negras e LGBT. Façamos um novo Junho contra os ajustes e os golpistas!”.




Tópicos relacionados

Golpe institucional   /    Governo Temer   /    Michel Temer   /    Rio de Janeiro   /    Política

Comentários

Comentar