Educação

Ato na UFABC denuncia retrocessos

Na noite de ontem, terça-feira (19/09), o coletivo Prisma da UFABC junto com Juventude Faísca anticapitalista e Revolucionaria e diversos movimentos políticos e sociais do ABC, fizeram um ato na abertura do Seminário internacional “Governança Multinível em Prol do Desenvolvimento Regional Sustentável nas Aglomerações Urbanas do RUHR e do Grande ABC Paulista” na Federal do ABC no campus de São Bernardo, o evento aconteceria inicialmente com a presença do REI-tor da universidade, de um embaixador da Alemanha no Brasil e dos prefeitos Orlando Morando (SBC) e Paulo Serra (Santo André). Entretanto os prefeitos não compareceram ao evento e representando a cidade de São Bernardo compareceu o vice-prefeito Marcelo Lima.

quarta-feira 20 de setembro| Edição do dia

Os manifestantes subiram ao palco, colocando o descontentamento com as políticas aplicadas no ABC desde o golpe institucional, mas principalmente após a posse dos prefeitos tucanos. Foi lida uma moção de repudio escrita em conjunto pelas entidades, onde de forma geral foi denunciado o total desmonte das condições básicas de vidas nas cidades do ABC. Desde o fechamento de postos de saúde, de casas de assistências em Santo Andre ao total desmonte da cultura em São Bernardo com o sucateamento do CAJUV e do CAV e o fechamento do CLAC. Foi colocada ainda a discussão sobre a ocupação do MTST que esta em curso em São Bernardo, em um evento que se propõe a discutir o desenvolvimento regional não pautar essas questões é um absurdo.

Veja mais: Ocupação com mais de 6 mil famílias no ABC expõe o problema de falta de moradia no Brasil

A partir do coletivo Prisma e da Juventude Faísca ainda foi colocado a discussão sobre o projeto escola sem partido que foi protocolado na prefeitura de Santo Andre na ultima semana, e da liminar da “cura gay” aprovada no DF. Todos ao ato contra esse absurdo: LGBT não é doença!!

Após demonstrarem enorme descontentamento da intervenção no seminário, os componentes da mesa acabaram sendo pressionados a deixar o vice-prefeito se pronunciar antes de iniciar as solenidades. Com a palavra Marcelo Lima nem tocou nas pautas colocadas em questão e fez um discurso bem por fora dizendo sentir orgulho de trabalhar para o prefeito que é um trabalhador, no mesmo discurso que os prefeitos tucanos estão adotando do “João Trabalhador”. Após uma fala bem exaltada em que colocava que todos os problemas da cidade foram causados pela antiga gestão (PT), e que todos os ataques que a juventude e a classe trabalhadora estavam sofrendo era para reorganizar as finanças na cidade.

Pode te interessar: Doria se veste de gari e tênis Osklen para varrer três folhas na 9 de Julho.

Nós já estamos cansados desse discurso, sabemos que estamos pagando pela crise para manter o lucro e o alto nível de vida de uma pequena casta de políticos e empresários. O vice-prefeito Marcelo Lima em sua fala só nos coloca mais claro como as gestões tucanas estão lidando com essa “crise”, fazendo cortes na saúde, na educação e na cultura, para garantir a boa vida de poucos enquanto a maioria da população jovem e trabalhadora sente diariamente a forca da chicotada nas costas, com a precarização dos serviços básicos nas cidades.

O grupo de manifestantes se retiraram logo em seguida, sendo seguidos pelo vice-prefeito Lima que não continuou na UFABC para o seminário, dizendo que aquilo não era uma universidade e sim um partido político e totalmente descontente que a comunidade acadêmica junto a população tivesse tido espaço de fala para colocar suas demandas.




Tópicos relacionados

Educação   /    ABC paulista   /    Gênero e sexualidade   /    Juventude

Comentários

Comentar