CONTRA O RACISMO E A VIOLÊNCIA POLICIAL

11/7 Ato internacional simultâneo: Basta de racismo e de violência policial!

No sábado de 11 de julho te convidamos para o Ato internacional simultâneo com oradores dos Estados Unidos, França e Brasil, e saudações da Grã Bretanha, Alemanha, Chle e Bolívia. Contra toda forma de racismo e violência policial. Para apoiar as lutas da juventude, da classe trabalhadora e de todos os oprimidos, que está combatendo e sofrendo as piores consequências do coronavírus.

sexta-feira 3 de julho| Edição do dia


YouTube

YouTube

No sábado de 11 de julho te convidamos para o Ato internacional simultâneo contra o racismo e a violência policial.

O ato contará com a participação de Julia Wallace, ativista e editora do Left Voice de Los Angeles e Mike Pappas, médico do hospital Monte Sinai de Nova York, pelos Estados Unidos; Anasse Kazib, dirigente ferroviário e militante da CCR - Revolutión Permanent pela França; e Marcelo Pablito, trabalhador da Universidade de São Paulo e militante do Movimento Revolucionário de Trabalhadores e Leticia Parks, da agrupação de negros e negras Quilombo Vermelho e correspondente do Esquerda Diário pelo Brasil.

O ato contará também com saudações da Grã Bretanha, Alemanha, Chile e Bolívia.

O movimento contra o racismo que explodiu em Minneapolis à partir do brutal assassinato de George Floyd e se estendeu rapidamente pelos Estados Unidos ultrapassou as fronteiras. Em poucas semanas, despertou a solidariedade de jóvens e trabalhadores de todo o planeta, mas também atingiu os nervos da opressão e exploração, desatando movimentos que começam a questionar diretamente as bases do sistema capitalista. As imaens de milhares de jovens derrubando estátuas de racistas e colnialistas vistas nos Estados Unidos e na Europa, ou as mobilizações anti racistas no Brasil questionam progundamente não só a repressão policial como também o racismo institucional. A palabra de ordem Black Lives Matter girou o mundo, tomando em cada país um significado particular.

Estes protestos ocorrem em um momento de enorme crise capitalista, agudizada pela pandemia, na qual o mundo inteiro viu como las trabalhadoras e os trabalhadores chamados "essenciais" não só estão na primeira linha do combate ao coronavírus como também são aqueles que produzem tudo o que é necessário para viver. O fazem em condições absolutamente precárias e sem a mínima segurança básica, o que os levou a protagonizar greves e manifestações como as que vimos entre os trabalhadores e trabalhadores da saúde, nos supermercados, nos armazés da Amazon ou entre os trabalhadores dos aplicativos. Os empresários que privilegiaram seus lucros por cima da vida dos trabalhadores durante a pandemia são os que agora se dispõem a descarregar a crise econômica e social sobre as nossas costas. Temos que pará-los. Necessitamos de nos organizar em nossos países e também necessitamos uma organização internacional.

Por isso, as organizações de 14 países, que impulsionam a Rede Internacional Esquerda Diário, convocam este ato internacional simultâneo. Para repudiar toda forma de racismo e somar-se à onda que atravessa o mundo. Para dizer basta à violência policial. Para apoiar as lutas da juventude, da classe trabalhadora e de todos os oprimidos, que combatem e engrentam as piores consequências do coronavírus. Que a crise seja paga pelos capitalisas! Por uma Internacional da Revolução Socialista.

Te convidamos a se somar e participar!

O ato será apresentado pelo Deputado Nacional Nicolás del Caño, da Argentina, e pela Legisladora da cidade de Buenos Aires Myriam Bregman, ambos do Partido dos Trabalhadores Socialistas que pertence compõe a Frente de Esquerda da Argentina.

Conecte-se segundo o horário do seu país:

15h no Brasil, Argentina e Uruguai.

12h na Costa Rica

13h no México e no Peru

14h nos Estados Unidos (Costa Leste), Chile, Bolívia e Venezuela

19h no Reino Unido

20h na França, Estado Espanhol, Alemanha e Itália.

Convidam:
Estados Unidos: LeftVoice,

França: Courant Communiste Révolutionnaire (CCR) en el NPA (Nouveau Parti Anticapitaliste),

Estado Espanhol: Corriente Revolucionaria de Trabajadoras y Trabajadores (CRT),

Alemanha: Revolutionäre Internationalistischen Organisation (RIO),

Itália: Frazione Internazionalista Rivoluzionaria (FIR),

Argentina: Partido de los Trabajadores Socialistas (PTS),

Brasil: Movimento Revolucionário de Trabalhadores (MRT),

Chile: Partido de Trabajadores Revolucionario (PTR),

México: Movimiento de Trabajadores Socialistas (MTS),

Bolívia: Liga Obrera Revolucionaria (LOR-CI),

Venezuela: Liga de Trabajadores por el Socialismo (LTS),

Uruguai: Corriente de Trabajadores Socialistas (CTS)

Peru: Corriente Socialista de las y los Trabajadores (CST)

Costa Rica: Organización Socialista.

Rede Internacional Esquerda Diário

Fração Trotskista - Quarta Internacional




Tópicos relacionados

Coronavírus e racismo   /    Coronavírus   /    Emmanuel Macron   /    Racismo   /    Jair Bolsonaro   /    Donald Trump   /    [email protected]   /    Internacional

Comentários

Comentar