Juventude

DIREITA NA USP

Ato da direita pró-Bolsonaro na USP é um fiasco, contra-ato reúne centenas de estudantes

Enquanto cetenas se reunem no vão livre da USP contra Bolsonaro, na POLI-USP nem 30 se juntam para fazer ato a favor de Bolsonaro. Palavras de ordem exaltavam policiais, que faziam escolta do ato.

segunda-feira 29 de outubro| Edição do dia

A manifestação convocada por estudantes de direita na USP para comemorar a vitória de Jair Bolsonaro sob o título de “chola mais” foi um completo fracasso. A contra-manifestação convocada por estudantes de esquerda reuniu centenas no prédio da História e Geografia.

Entusiasmados com o sucesso eleitoral de Jair Bolsonaro, estudantes de direita da USP resolveram convocar a manifestação “marcha do chola mais”, que prometia reunir milhares de estudantes para, partindo da Escola de Engenharia da USP, sair em marcha por cursos onde há tradicionalmente militância organizada de esquerda, como a FFLCH (Filosofia, Letras, Geografia, História, Ciências Sociais) e a Escola de Comunicação e Artes (ECA). Na descrição do evento, se lia o seguinte texto:

“Dada a vitória de Jair Bolsonaro, convidamos você a participar da marcha da vitória e um circuito de natação nas lágrimas da esquerda. A marcha se iniciará na Poli-USP, percorrerá tradicionais faculdades da USP e terminará no P1. Vamos juntos cantar e comemorar.

Vai ter arma para o cidadão de bem sim!
Vai ter menor em Pedrinhas sim!!!!”

No Facebook, o evento contava com 2.700 confirmados e 15 mil interessados. Em resposta, estudantes da Filosofia fizeram um evento de manifestação contrária aos bolsonaristas, intitulada “FFLCH é Antifascista: defenda nossa universidade!”, com 1.700 confirmados e 4.700 interessados. O texto do evento dizia:

“O movimento “USP livre” chamou um ato, segunda-feira (29/10), logo após as eleições, que pretende caminhar pela USP e entrar na FFLCH comemorando "vitória" numa "Marcha do Chola Mais".

Não podemos deixar que nossa universidade seja invadida por intolerantes. Pela defesa da FFLCH e pela defesa da universidade pública pedimos apoio dos CA’s, coletivos e sindicatos da USP para a formação de uma contramanifestação como resposta a esse ato, não podemos recuar!

Chamamos todxs para compor a contramanifestação AUTÔNOMA, no dia 29/10, ás 14h no vão da história. Queremos formar uma frente antifascista conjunta!”
Até mesmo a direção da faculdade se manifestou, dizendo que procurou a reitoria para “tomar providências” e dizer que seria garantida a segurança (vídeo).
Contudo, a manifestação dos bolsonaristas, que na internet prometia reunir tanta gente, trouxe uma “surpresa”: a montanha pariu um rato, e meia dúzia de direitistas pateticamente reunidos na frente da Escola Politécnica fizeram papel de palhaço.

Enquanto isso, centenas de estudantes se reuniam no vão do prédio de História e Geografia, esperando em vão o que deveria ser uma manifestação da direita a ser combatida.

Veja também a fala de Mariana Duarte, estudante da USP, militante da juventude Faísca e do MRT que estava no ato:




Tópicos relacionados

Comitês contra Bolsonaro   /    Bolsonaro   /    USP   /    Juventude

Comentários

Comentar