GREVE DOS CORREIOS

Ato com mais de 300 carteiros e carteiras em BH mostra a força da greve nacional dos Correios

A greve dos trabalhadores dos Correios, que se iniciou na semana passada, teve o seu sétimo dia com atos espalhados em vários estados. Em Belo Horizonte ocorreu uma manifestação dos trabalhadores na segunda (24), na sede central da empresa na capital mineira, com delegações de várias cidades de toda região metropolitana, como Betim, Contagem, Ribeirão das Neves, entre outras, contando com mais de 300 carteiros e carteiras.

quarta-feira 26 de agosto| Edição do dia

Centenas de carteiros, foram para as ruas nesta segunda (24) lutar contra a ameaça de privatização e o ataque ao acordo coletivo que retira o auxílio creche, vale-alimentação, licença maternidade, entre outros direitos, em plena pandemia.

Os trabalhadores da Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos (ECT) já estão há mais de uma semana em greve nacional, com adesão de 70% da categoria contra o desmonte da empresa que vem sendo promovido pelo governo, que anunciou a alteração de 70 cláusulas no acordo coletivo, em ataque a conquistas históricas.

Flavia Valle, pré-candidata a vereadora pelo MRT em Contagem, esteve presente no ato e prestou apoio aos trabalhadores:

A greve dos Correios, que se iniciou segunda-feira (17) da semana passada, teve o seu sétimo dia com atos espalhados em...

Publicado por Flavia Valle em Terça-feira, 25 de agosto de 2020

Já são 120 carteiros que morreram por Covid-19, resultado também da política negacionista de Bolsonaro que levou à morte mais de 115 mil pessoas, e o alinhamento dos governadores para a volta da atividades.

Em entrevista, um carteiro de Natal nos informou que eles receberam duas máscaras de proteção durante três meses da pandemia, álcool em gel chegou há pouco tempo, 1 mês atrás.

O novo ataque não é só para o período da pandemia, mas sim a imposição de precarização permanente de trabalho e de vida.

Em outros estados, como em Sergipe, São Paulo e Rio de Janeiro, houve atos com dezenas de trabalhadores dos Correios. Em Curitiba, foi realizada uma manifestação em frente à agência do centro da capital paranaense.

O sindicato da categoria no estado do Paraná afirma que há uma adesão de mais de 70% dos trabalhadores à greve, desde segunda. Em Patos de Minas dezenas de trabalhadores foram ao hemocentro da cidade mineira doar sangue.

Esse ataque quer pôr fim em direitos das trabalhadoras dos Correios. A empresa quer a retirada da licença-maternidade de 180 dias, auxílio para filhos com necessidades especiais e o auxílio-creche. Isso demonstra que o setores oprimidos, como as mulheres, na sociedade capitalista sempre são atacados mais profundamente.

O plano de vender o Brasil para empresas multinacionais com suas sedes na Europa e EUA não é novidade. Em toda campanha para as eleições, Paulo Guedes, herdeiro da escola de Economia de Chicago, deixava mais que claro.

Isso demonstra que apesar de todo o seu discurso de soberania nacional, a política de Bolsonaro é totalmente subordinada aos interesses imperialistas. Como já desmascaramos aqui, o projeto neoliberal desse governo fala demagogicamente contra supostos prejuízos e ineficiência dos serviços públicos como justificativa de precarização do trabalho e o avanço para submeter mais ainda os países economicamente mais atrasados como o Brasil aos interesses do capital imperialista.




Tópicos relacionados

Paulo Guedes   /    Privatização   /    Greve dos correios   /    Correios

Comentários

Comentar