Sociedade

HOMICÍDIOS NO BRASIL

“Atlas da Violência” do IPEA escancara números do genocídio da juventude negra no país

Pesquisa levantou dados dos últimos anos e reforçou o que muitos já denunciavam: a violência no país tem como protagonista a ação policial e como principais vitimas a juventude negra e o povo pobre.

Raphael Mouro

Twitter: @Mouro_77

terça-feira 6 de junho| Edição do dia

De todos os homicídios no mundo, 10% são no Brasil. Este número brutal foi revelado pelo IPEA após pesquisa considerando os últimos 10 anos.
São ainda mais alarmantes os números que levam em consideração as origens sociais dos homicídios: só em 2015, foram 59.080 homicídios e a esmagadora maioria, cometidos em bairros pobres pelo país. O que significa 28,9 mortes a cada 100 mil habitantes. Os números representam uma mudança de patamar nesse indicador em relação a 2005, quando ocorreram 48.136 homicídios. Também detalha os dados por regiões, estados e municípios com mais de 100 mil habitantes.

São números que só crescem a cada ano justamente quando vemos governantes aumentarem a escalada da repressão com mais verbas para as forças repressivas, em detrimento de cortes nos direitos dos trabalhadores da cidade e perseguição aos trabalhadores do campo além dos seguidos cortes na área da educação.


Infográfico: fonte - IPEA

Nas regiões Norte e Nordeste, chegou a um crescimento absurdo superior a 100% nas taxas de homicídio no período analisado. O destaque é o Rio Grande do Norte, com um crescimento de 232%. Em 2005, a taxa de homicídios no estado era de 13,5 para cada 100 mil habitantes. Em 2015, esse número passou para 44,9. Em seguida estão Sergipe (134,7%) e Maranhão (130,5). Pernambuco e Espírito Santo, por sua vez, reduziram a taxa de homicídios em 20% e 21,5%, respectivamente. A pesquisa também aponta uma difusão dos homicídios para municípios do interior do país.

O já explícito genocídio da juventude negra que vemos nas ruas e nos noticiários, agora em números cruéis.

A juventude segue sendo a maior parte das vítimas dos homicídios: mais de 318 mil jovens foram assassinados no Brasil entre 2005 e 2015. Apenas em 2015, foram 31.264 homicídios de pessoas com idade entre 15 e 29 anos. Os homens jovens continuam sendo as principais vítimas: mais de 92% dos homicídios acometem essa parcela da população. Em Alagoas e Sergipe a taxa de homicídios de homens jovens atingiu, respectivamente, 233 e 230,4 mortes por 100 mil homens jovens em 2015.

A cada 100 pessoas assassinadas no Brasil, 71 são negras. De acordo com informações do Atlas, os negros possuem chances 23,5% maiores de serem assassinados em relação a brasileiros de outras raças, já descontado o efeito da idade, escolaridade, do sexo, estado civil e bairro de residência.
Os dados sobre mortes decorrentes da ação policial chegam a mais de 4.900. Os estados que mais registraram homicídios desse tipo em 2015 foram Rio de Janeiro , São Paulo e Bahia.


Sumário do documento resultado da pesquisa do IPEA dedica dezenas de páginas para mostrar as maiores vítimas da violência

Os milhares de executados pelas polícias brasileiras - uma verdadeira fábrica de cadáveres - estão às margens das benesses do sistema capitalista, como a maioria negra e pobre da população, a exemplo de Amarildo no Rio ou absurdo e conhecido caso dos ‘5 Amarildos da ZL de SP’ (Jones, César Augusto, Jonathan, Caique e Robson), Cláudia, Douglas, Maria Eduarda: todos com nomes e endereços, apagados pela ação repressora do braço armado de um Estado para os ricos e que alimenta um sistema judiciário que oferece “leniência”, acordos de delação premiada e “prisão domiciliar” em mansões para políticos e empresários que assaltam as verbas para educação e negociam os empregos e os direitos trabalhistas do povo.

O Esquerda Diário lançará nos próximos dias uma série de artigos analisando os números levantados pela pesquisa e convidamos os leitores para acompanhar estas elaborações, assim como a denunciar principalmente a ação policial e repressora dos governos contra os jovens, negros, mulheres e moradores da periferia.




Tópicos relacionados

Repressão   /    Sociedade   /    Racismo   /    Violência Policial

Comentários

Comentar