REPRESSÃO NO JULGAMENTO DO LULA

Ativistas do Levante Popular em Porto Alegre são soltos

Dezesseis jovens, dos mais de vinte manifestantes que foram presos durante os protestos contra a condenação arbitrária de Lula na noite de ontem (24), foram libertos nesta tarde após a emissão de alvará de soltura. Os ativistas ainda responderão sob liberdade provisória pelas acusações de incêndio e associação criminosa.

quinta-feira 25 de janeiro| Edição do dia

Os ativistas, as 13 mulheres e três homens, todos parte do movimento Levante Popular da Juventude, estão sendo acusados de incêndio e associação criminosa e responderão em liberdade provisória. A liberdade provisória foi concedida após um despacho elaborado por um grupo de advogados que se mobilizou após o ocorrido e as inúmeras arbitrariedades cometidas na condução da custódia dos manifestantes.

Outros dez jovens, incluindo dois colaboradores da Mídia Ninja, também passaram a noite na 3º DPPA, mas foram liberados no fim da madrugada sem auto de prisão.

As advogadas e advogados também não tiveram acesso ao completo teor do inquérito, em mais uma flagrante transgressão constitucional perpetrada pelas forças de segurança de Porto Alegre.

A repressão dos manifestantes é mais uma evidência do ataque aos direitos democráticos e a crescente arbitrariedade do Judiciário contra os trabalhadores, que se acentuaram desde o golpe institucional e tive prosseguimento ontem na condenação de Lula.




Tópicos relacionados

Julgamento de Lula   /    Porto Alegre   /    Repressão   /    Violência Policial

Comentários

Comentar