Sociedade

VIOLÊNCIA POLICIAL RJ

Assessora de vereador Carlo Caiado (DEM) posta fotos falsas caluniando jovem morto na Maré

Marcus Vinícius, 14, morto pela polícia no Complexo da Maré quando ia para a escola, já está sofrendo com as absurdas calúnias e notícias falsas propagada pela direita. Assessora de vereador do DEM divulgou nas redes fotos falsas do menino dizendo que ele era traficante.

sexta-feira 22 de junho| Edição do dia

[Atualizado às 20:25]

Tatiana Mendonça, assessora do vereador do Carlo Caiado (DEM), é uma das responsáveis por iniciar a já tradicional e criminosa campanha de calúnias e difamações que as vítimas da brutal violência policial no Rio vêm sofrendo. Em uma postagem no Facebook a assessora postou um comentário em que dizia: “Olha aí o coitadinho que a Globo fala que é inocente e os pais falam que estava vindo da escola. Com objetivo de distorcer os fatos colocaram foto dele hoje no RJTV de qdo ainda era criança’”. Veja abaixo:

Como vimos no caso das monstruosas calúnias espalhadas também por políticos e figuras importantes da direita após o assassinato de Marielle Franco, que tinham o mesmo teor calunioso, essa é uma prática recorrente para tentar justificar a brutal violência policial que assassina a juventude negra e pobre nas favelas, inclusive crianças dentro da escola, como foi com Maria Eduarda, ou a caminho da escola, como com Marcos Vinícius, de apenas 14 anos, que foi assassinado e disse à sua mãe que foi alvejado pela polícia.

Além da prática caluniosa contra um jovem brutalmente assassinado pelo Estado em si ser absolutamente deplorável, há outra questão igualmente absurda nessa atitude: o discurso implícito de que se o jovem estivesse envolvido com o tráfico, estaria justificada sua execução.

Nem Marcus Vinícius era criminoso - era apenas um jovem estudante cuja vida foi precocemente interrompida pelas ações criminosas do Estado e sua polícia -, nem a resposta de "matar bandido" como "solução" para a violência social gerada pelo capitalismo deve ser aceita em nenhuma hipótese. Como já denunciamos diversas vezes, o tráfico, as milícias e a polícia estão completamente emaranhados, tendo laços orgânicos com os políticos e o Estado. Enquanto vereadores e seus assessores cumprem o criminoso papel de difundir calúnias sobre as vítimas da polícia e exigir mais sangue negro escorrendo nos morros, muitos desses mesmos políticos são os que lucram com as práticas ilegais, o tráfico e a política estatal de criminalização das drogas e de massacre ao povo pobre e negro das favelas, sem falar nas superlotadas cadeias onde cerca de 40% dos presos sequer teve direito a julgamento.

Tatiana Mendonça e Carlo Caiado devem ser responsabilizados pelas absurdas calúnias contra o jovem Marcus Vinícius e também por sua defesa do massacre perpetrado pelas forças repressivas do Estado nas favelas.

Após a divulgação dessa denúncia pelo Esquerda Diário, Tatiana Mendonça apagou seu comentário e retirou seu perfil do ar. Ela não foi a única a divulgar a calúnia contra Marcus Vinícius e depois retroceder. A página da "Sargento Etienne" também divulgou o mesmo conteúdo, e, após ser criticada por centenas de pessoas, apagou a postagem e escreveu uma mensagem de "desculpas", que pode ser lida abaixo.

É esse mesmo tipo de "desculpa", um pedido hipócrita por cima do sangue da juventude negra, que o Estado destina às famílias que veem suas crianças mortas pelas balas da polícia. Etienne, como uma representante da força policial, expressa o que pensam seus membros, o que está no DNA dessa instituição, que é a violência brutal e massacrante contra os moradores das favelas, contra a juventude negra. Nenhum pedido de desculpas trará de volta Marcus Vinicius nem os milhares que são mortos, nem fará com que essas mortes que ocorrem cotidianamente sob responsabilidade do Estado e da polícia acabem.




Tópicos relacionados

Sociedade   /    Violência Policial   /    Rio de Janeiro   /    Política

Comentários

Comentar