Política

MAIS CORRUPÇÃO

Assessor especial de Temer preso por obras na Copa é exonerado. Mais crise por aí?

quarta-feira 24 de maio| Edição do dia

Nelson Tadeu Filippelli, assessor especial do gabinete pessoal do presidente Michel Temer, teve exoneração publicada hoje em Diário Oficial. Filippelli foi preso na terça-feira, 23, em operação da PF que investiga o envolvimento em desvios de dinheiro nas obras de reforma do Estádio Mané Garrincha, em Brasília. O caso envolve ex governadores em Brasília, como noticiamos ontem mesmo no Esquerda Diário.

As prisões tiveram como base a delação premiada do executivo Andrade Gutierrez.

Foram presos também na mesma operação os ex-governadores do Distrito Federal Agnelo Queiroz (PT) e José Roberto Arruda (PR). As obras no estádio, que teriam sido superfaturadas em quase R$ 1 bilhão, foram feitas para a Copa do Mundo de Futebol de 2014.

Segundo levantamento, a arena Mané Garrincha teve orçamento inicial deem R$ 600 milhões, mas terminou custando R$ 1,7 bilhão. Segundo os investigadores, o superfaturamento nas obras pode ter chegado a R$ 900 milhões.

Diferente de casos anteriores como Geddel ou outras figuras do governo, ao invés de ir ao público para demagogicamente defender a presunção de inocência, Temer exonerou o assessor. É que está muito ocupado tentando provar sua própria inocência sem sucesso, e hoje ainda terá que lidar com milhares que vão à Brasília de todo o país!

Leia também: A Constituinte tem que ser expressão da luta para derrotar as reformas, afirma Diana Assunção




Tópicos relacionados

Política

Comentários

Comentar