Política

INCÊNDIO CRIMINOSO CONTRA MST

Assentamento do MST Irmã Dorothy é alvo de incêndio criminoso no município de Tamboril (CE)

quarta-feira 31 de outubro| Edição do dia

Os moradores do assentamento Irmã Dorothy relatam que o incêndio criminoso foi provocado por quatro homens que chegaram ao local em motocicletas, atearam fogo e saíram gritando ameaças. O fogo se alastrou e só pode ser contido após várias horas.

O assentamento é fruto da luta de 150 famílias que residem no local, e que há 4 anos batalham pela desapropriação da fazenda Cacimbinha, pertencente à família Timbó. A justiça, como sempre ao lado dos latifundiários, após diversas audiências realizadas junto com o governo estadual, não deu nenhum encaminhamento à desapropriação para que as famílias tenham direito a um pedaço de terra para sobreviver. Uma nota do assentamento Palmares, em Cratéus, afirma que “já ocorreram diversas audiências com a Secretaria das Cidades e Instituto do Desenvolvimento Agrária do Ceará (IDADE) do governo do estado e Instituto de Colonização e Reforma Agrária (INCRA) que estão realizando vistorias em áreas na região para realizar o assentamento das referidas famílias.”

Como afirmaram as famílias residentes na Comuna Irmã Dorothy, é evidente que se trata de uma ação criminosa para intimidar os moradores. Após a vitória de Bolsonaro nas urnas, um grande aliado do agronegócio e dos latifundiários, que prometeu diversas vezes acabar com movimentos sociais, como o MST, e dizendo que legalizaria a resolução de conflitos por terra “na bala” por parte dos fazendeiros – o que já ocorre hoje, e na maioria das vezes com a conivência do Estado, quando não por meio de sua atuação direta pelas mãos da polícia.

Repudiamos esse crime contra as famílias assentadas, e nos solidarizamos com a luta dos moradores da Comuna Irmã Dorothy.




Tópicos relacionados

Conflito no campo   /    MST   /    Política

Comentários

Comentar