Mundo Operário

CONTRA PACOTE DE MALDADES

Assembleia de servidores de Florianópolis vota continuidade da greve

Depois da aprovação do pacotaço de Gean Loureiro (PMDB) na Câmara de Vereadores na última semana, os servidores municipais de Florianópolis se reuniram em Assembleia mais uma vez para debater a mobilização e definir os rumos da greve.

segunda-feira 30 de janeiro de 2017| Edição do dia

Na última semana Gean Loureiro entrou na justiça mais uma vez para tentar configurar a greve como ilegal, mas o Ministério Público negou o pedido do prefeito por falta de provas e deu o prazo de 15 dias para que se algum motivo concreto exista, que seja apresentado.

O prefeito se negou a dialogar com os servidores no último período sobre os salários atrasados de dezembro, mas postou em sua rede social que será pago no dia 2 de fevereiro. O advogado do SINTRASEM entrou com pedido na justiça para que os dias parados não sejam descontados.

Na Assembleia, os trabalhadores colocaram a necessidade do Comando de Greve de dialogar com os que ainda não estão em greve, como alguns centros de saúde. Muitas vezes por medo e assédio moral.

Depois de aprovar por unanimidade na assembleia que contou com cerca de 600 servidores de diferentes categorias, a continuidade da greve por tempo indeterminado, saíram em ato pela Avenida Mauro Ramos até a Secretaria da Fazenda, onde a guarda municipal aguardava os manifestantes para impedir uma possível entrada.

Segue abaixo a agenda para os próximos dias:

Terça, 31/01: Ato nos Ingleses, às 15h;
Quarta, 01/02: Ato na Upa Sul Rio Tavares, às 15h;
Quinta, 02/02: Assembleia na Praça Tancredo Neves, às 15h;
Sexta, 03/02: Ato no Continente, concentraçã no Super Mercado Imperatriz;
Terça, 07/02: Assembleia na Praça Tancredo Neves, às 15h.





Tópicos relacionados

Luta contra os ajustes   /    Ajustes Fiscais   /    Pacote de ajustes   /    Mundo Operário

Comentários

Comentar