Educação

CRISE NO RJ

Assembleia com mais de 500 docentes da UERJ vota continuidade do estado de greve

Reproduzimos a nota da Asduerj sobre as deliberações votadas na última assembléia (18/01), que reuniu mais de 500 docentes.

quinta-feira 19 de janeiro de 2017| Edição do dia

Foto: facebook Asduerj

Por ampla maioria, a assembleia docente desta quarta-feira decidiu manter o estado de greve na categoria.

Os docentes aprovaram por unanimidade uma reivindicação à Reitoria para a convocação de uma Assembleia Universitária, com a participação do governador do Estado, Chanceler da universidade. O objetivo é prestar amplos esclarecimentos à comunidade universitária e à sociedade fluminense em geral sobre as condições atuais da Uerj

A assembleia aprovou ainda a adesão ao "Abraço à Uerj", manifestação de solidariedade da população à universidade, nesta quinta-feira, às 15h, no Campus Maracanã.

Uma nova assembleia foi marcada para a segunda-feira, 23/1. O indicativo de greve permanece em pauta.


Veja outras deliberações:

▪ Ato quarta-feira, 25/01, às 16h, no Largo do Machado para ir ao Palácio Guanabara

▪ Preparar ocupação cultural, política e científica na Uerj

▪ Moção contra o pagamento de apenas uma parte dos servidores da Uerj

▪ Retomada de debate e consulta sobre a judicialização da DE, para posterior decisão em assembleia

▪ Organização do debate sobre financiamento da universidade com o Andes-SN e outras associações docentes estaduais e federais, além de entidades da área.

▪ Realização de uma plenária comunitária com os demais segmentos

▪ Cobrar da Reitoria a convocação de uma Assembleia Universitária

▪ Organização de um ato artístico e político na Uerj, em março

▪ Constituição de grupos para produção de artigos críticos sobre a conjuntura e propostas de desmontes dos serviços públicos

▪ Refazer o cálculo da defasagem salarial acumulada até esse momento

▪ Encaminhar ao Ministro Barroso uma solicitação de vistas à Ação Direta de Constitucionalidade que barrou os 6% para as universidades públicas estaduais do Rio de Janeiro

▪ Moção de Repúdio à prisão do dirigente do MTST, Guilherme Boulos

▪ Criação de um painel com o posicionamento dos deputados sobre o Pacote de Maldades do governo

▪ Envio de textos e vídeos para os deputados, pedindo apoio à Uerj

▪ Encaminhar para os organizadores proposta de mudança de nome do Ato no dia 24/1 para “A Uerj está viva!”

▪ Ato no Ministério Público para cobrar ações relativas às isenções fiscais e outros descalabros do governo estadual

▪ Solicitar aos delegados da Uerj que participarão do Congresso do Andes-SN, que acontece no final do mês, que o Sindicato Nacional destine parte da contribuição do fundo nacional de greve para a Asduerj possa utilizar nos atos e manifestações. A proposta também inclui a solicitação de Moção de Repúdio do Congresso a situação vivida pela Uerj

▪ Moção de repúdio à ação judicial movida contra o Reitor da UFRJ e uma aluna

▪ Adesão ao abraço à Uerj, nesta quinta e ao ato do dia 24/1

#Uerj #UerjResiste




Tópicos relacionados

UERJ   /    Educação   /    Rio de Janeiro

Comentários

Comentar