DEVASTAÇÃO AMBIENTAL

País tem 156 barragens em situação crítica, mesmo após Mariana e Brumadinho

Segundo relatório de segurança de barragens da agência nacional de águas (ANA) existem 156 barragens em risco no país em condições críticas em 22 estados, 49 são de mineração e em grande parte tem potencial enorme de distribuição no caso de ruptura.

terça-feira 8 de setembro| Edição do dia

Brumadinho. Foto: Antônio Cruz/Agência Brasil

Em 25 de janeiro de 2019 o rompimento da barragem em Brumadinho chocou todo país, foram 259 mortos e até hoje 11 pessoas seguem desaparecidas. A barragem era da empresa mineradora Vale, grande empresa capitalista que por ano lucra valores exorbitantes em dinheiros. Pelo visto o acidente que levou a vida de mais de 259 pessoas não pressionou as grandes empresas buscarem melhores estruturas para as barragens, na realidade as barragens existentes hoje seguem sendo um grande risco para os trabalhadores.

Além do caso de Brumadinho o país presenciou o acidente de Mariana, o pior acidente da mineração brasileira. A barragem era da mineradora Samarco, na época controlada pela empresa Vale e pala BHP Billiton. O tamanho da destruição nunca foi visto na historia do país, o rompimento da barragem provocou inundação enorme de lama pelo distrito de Bento Rodrigues devastando tudo que via pela caminho até avançar com a destruição do vale do Rio Doce. Vários moradores ficaram desabrigados e sem acesso a água potável. Os impactos ambientais foram sem proporções e inconvertível.

Veja mais: 4 anos de Mariana: não esquecemos nem perdoamos a Vale/Samarco, os governos e o judiciário

De Mariana a Brumadinho: quantas vidas, rios e cidades a Vale ainda vai destruir?

O relatório da ANA, aponta que das 156 barragens em estado críticos, 80 são de Minas Gerais, ou seja, mais da maioria. Existem recordes nos acidentes e incidentes relacionados as barragens, 12 e 58, proporcionalmente em 15 estados. E as irracionalidades do sistema capitalista não param por aí, o país tem 19.388 estruturas de mineração geradoras de energias e armazenamento de água, segundo o relatório ANA, dessas 19.388 não se tem informações de 11.826 barragens, ou seja, 61% das barragens do Brasil não existem informações da qualidade de suas estruturas.

Esse é um sistema que coloca os lucros acima das vidas dos trabalhadores, que independente dos históricos passados de destruição da natureza e da vida seguem com suas sedes de lucros. O capitalismo destrói o meio ambiente e a vida, sendo assim, o capitalismo que precisa ser destruído.




Comentários

Comentar