Sociedade

MENINOS DO NINHO

As 10 vidas perdidas no Ninho do Urubu valem mais do que o lucro do Flamengo!

Há dias de se completar 1 ano e 10 meses do incêndio que arrancou a vida de 10 garotos no Ninho do Urubu, o judiciário racista deliberou a favor do Flamengo, e arrancou a pensão de R$10 mil que o clube era obrigado a pagar para os familiares.

quarta-feira 2 de dezembro de 2020| Edição do dia

1 ano e quase 10 meses. É o tempo que familiares de parte dos 10 meninos falecidos no incêndio no Ninho Urubu estão brigando por justiça. Alguns, ainda brigam por justiça, mas deixaram a briga judicial por indenização, e fecharam acordo com o Flamengo. Uma parte, teve mais uma derrota judicial nesta quarta (02), com o TJ do Rio de Janeiro decidindo em favor do recurso do Flamengo, para não pagar a pensão de R$ 10 mil reais para 6 das 10 famílias.

A folha salarial - apenas dos jogadores do Flamengo - está na casa dos R$ 12 milhões mensais. Só com este valor que o Flamengo gasta por mês com seus jogadores, seria possível pagar 10 anos de pensão para as 10 famílias que perderam seus filhos no incêndio no Ninho do Urubu.

Pode interessar: Não esqueceremos: Quem eram os 10 meninos que perderam suas vidas no CT do Flamengo?

Somente em 2019, o faturamento do clube, segundo balanços publicados pelo próprio clube, foi de R$ 939 milhões em receitas, e R$ 287 milhões em “lucros operacionais”, envolvendo especialmente compra e venda de atletas. Valores estratosféricos, ainda mais se comparado com o valor da pensão que o clube se recusa a todo o custo pagar para as famílias dos meninos do Ninho.

Dinheiro não falta ao Flamengo para garantir o mínimo que poderia dar para essas famílias que perderam seus filhos pela negligência e descaso do próprio clube, que arrancou a vida de 10 garotos, e que eram a grande maioria, negros. Uma negligência racista, atendida pelo TJ que derruba a obrigação ao Flamengo de pagar a pensão às famílias.

Diversas vezes Wedson, pai de Pablo Henrique, um dos meninos que perdeu sua vida no incêndio, disse à imprensa que nem ao menos uma ligação do clube para saber das condições de vida das famílias, eles receberam. Apenas os contatos na justiça, brigando para que o Flamengo garantisse o mínimo direito para estas famílias.

O Flamengo calcula um valor de indenização para as famílias baseado na expectativa de lucro que teria com os garotos de sua categoria de base, títulos, prêmios, e uma possível venda que ocorresse.

A vida dos 10 meninos do Ninho do Urubu valem mais do que os lucros do Flamengo, que com suas folhas milionárias, não garantiu nem as mínimas condições de sobrevivência para estes garotos, que viviam dormindo em containers na sede do clube. “Estavam enjaulados”, o mesmo Wedson já afirmou.

Mas mesmo assim, o Flamengo foge de qualquer mínimo de responsabilidade. A diretoria do Flamengo, tanto a atual, de Rodolfo Landim, amigo de Bolsonaro, quanto de Eduardo Bandeira de Mello, são responsáveis!




Tópicos relacionados

Flamengo   /    Esportes   /    Racismo   /    negras e negros   /    Esporte   /    Futebol   /    Sociedade   /    [email protected]

Comentários

Comentar