Política

TERCEIRIZAÇÃO IRRESTRITA

As 1.300 demissões na LATAM são apoiadas pelos juízes de R$ 39 mil do STF e sua terceirização

Na semana passada, a LATAM anunciou 1.300 demissões para terceirizar os postos de trabalho, diminuindo salários e precarizando direitos. A decisão do STF dá respaldo a que isso ocorra por todo o país.

Fernando Pardal

@fepardal

quinta-feira 30 de agosto| Edição do dia

Como denunciamos aqui, a empresa aérea LATAM anunciou na semana passada a demissão de 1.300 trabalhadores, que deve ocorrer nessa terça-feira, deixando na miséria milhares de famílias. Além disso, após as demissões, a empresa anunciou também que irá fazer um PDV (Plano de Demissões Voluntárias), para cortar ainda mais postos de trabalho. O que eles querem fazer é ampliar a terceirização, que irá dividir os trabalhadores, reduzir salários e direitos, impondo uma exploração ainda maior em uma empresa que lucra milhões com o suor dos seus funcionários.

O que os patrões alegaram é que as demissões são uma tendência inevitável do mercado, e que estaria apenas cumprindo as regras do jogo. Esse tipo de chantagem é exatamente a mesma que esteve presente no discurso dos ministros do STF durante a votação que legalizou a terceirização irrestrita em todo o país e em todo tipo de atividades. O que eles dizem é que para manter os empregos é necessário abrir mão de direitos. Para eles, que acabam de aumentar os próprios salários em R$ 5.500, chegando a R$ 39 mil reais, é de um cinismo escandaloso falar em abrir mão de direitos.

O que o STF fez hoje é garantir que as demissões que ocorreram na LATAM se multipliquem em milhares de vezes, em milhares de empresas por todo o país, acabando não apenas com direitos garantidos e reduzindo salários, mas impondo a divisão entre trabalhadores dentro de cada local e dificultando sua organização política e sindical.

Estima-se que já estavam em curso 4 mil processos trabalhistas que, se apoiando na súmula 331 do TST, impediam que a terceirização ocorresse em diversos setores. Agora, para usar as palavras de um jornal patronal, esses processos serão “destravados”, ou seja, será ganho de causa certo para os patrões, e estará aberto o caminho para arruinar os empregos de tantos trabalhadores.

Os patrões, sedentos por despejar nas nossas costas os custos da crise que criaram, irão tentar impor – com o respaldo da casta de ministros do STF que ninguém nem sequer elegeu – que cada posto de trabalho seja terceirizado. As centrais sindicais, como CUT, CTB, Força Sindical e CGT, não moveram uma palha para impedir esses ataques, e precisamos nos organizar e exigir dos sindicatos e centrais que organizem uma luta contra essa medida absurda, uma grande mobilização nacional que possa impedir tanto as demissões na LATAM, como que ela sirva de exemplo para que, baseados no julgamento do STF, os patrões a transformem em regra em cada local de trabalho do país.




Tópicos relacionados

Latam   /    precarização   /    Aeroportos   /    Aeroviários   /    Reforma Política   /    Terceirização   /    Política

Comentários

Comentar