Gênero e sexualidade

ABORTO LEGAL

Argentina no 8A: o mundo estará nos observando

Em todo o mundo, se preparam marchas e protestos em solidariedade ao movimento de mulheres no dia da votação no Senado do projeto de aborto legal na Argentina.

quarta-feira 1º de agosto| Edição do dia

Nas últimas semanas começaram a preparar ações de solidariedade ao movimento de mulheres na Argentina, que se prepara para a jornada decisiva do 8 de agosto (#8A), quando o projeto de legalização do aborto será votado no Senado, que já tem a meia sanção quando foi aprovado pelos deputados do Congresso Nacional. Espontaneamente em alguns lugares, em resposta ao chamado de marchar às embaixadas e consulados argentinos entre outras, diferentes ações estão sendo preparadas.

Os olhos fixados na Argentina

O movimento de mulheres argentinas tornou-se uma referência internacional desde aquele dia em 2015 que as ruas foram inundadas com o grito de Ni Una Menos. Hoje, o movimento pelo direito ao aborto legal, seguro e gratuito colocou mais uma vez as mulheres que se organizam e se mobilizam pelos seus direitos nos jornais e mídia internacionais, em meio ao crescente descontentamento com o governo do Presidente Mauricio Macri.

No 8A e nos dias anteriores já são chamados de ações no:

Brasil

Em São Paulo se concentrarão no consulado argentino para realizar um pañuelazo e um ato em solidariedade ao movimento de mulheres na Argentina.

No Rio de Janeiro haverá um ato na Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro a partir das 16 horas.

Há também chamados nas cidades de Belo Horizonte e Porto Alegre.

O grupo Pão e Rosas convoca para marchar, "Fazer como as argentinas" e somar-se no 8A às ações de solidariedade e a lutar pelo aborto legal, seguro e gratuito também no Brasil.

Estado Espanhol

Atos e vigílias estão sendo preparados em várias cidades. Em Madri a mobilização será na embaixada argentina; a Assembleia 8A de Zaragoza se concentrará no Paraningo de Zaragoza às 20 horas.

Ações de solidariedade também são anunciadas em Barcelona, Compostela e Tenerife, entre outras cidades.

Bolívia

Em La Paz, diferentes organizações e mulheres independentes realizarão uma concentração no 8A nas portas do Consulado da Argentina. O comunicado do chamado diz: "Nós também nos somamos desde a BOLÍVIA ao PAÑUELAZO MUNDIAL PARA O DIREITO AO ABORTO livre, seguro e gratuito, em apoio às companheiras na Argentina, em repúdio aos ataques fascistas contra mulheres que se organizaram no Chile e para alcançar este direito em toda a região ".

O Pão e Rosas Bolívia faz parte das organizações que organizam o ato no Consulado às 12h30 e que está preparando uma reunião de coordenação no 1º de agosto na Plaza San Francisco.

Chile

Em Santiago do Chile, um comício está sendo organizado em frente ao consulado argentino com o slogan "Pelo aborto legal, neste 8A nós acompanhamos as argentinas". Também preparam manifestações em Antofagasta e em Valparaíso.

No 25 de julho, uma massiva marcha por aborto legal, seguro e gratuito aconteceu no Chile.. O Pão e Rosas Teresa Flores do Chile fez parte dos protestos que em todo o país pediam a maré verde para atravessar a cordilheira.

México

Na Cidade do México o Pão e Rosas convoca uma ação em solidariedade ao movimento de mulheres na Argentina, no tradicional Hemiciclo de Juárez no 8A, às 17:00.

O Pão e Rosas, como parte das organizações que convocam, fará um pañuelazo para acompanhar a mobilização na Argentina e reivindicar o aborto legal e a liberdade de todas as mulheres presas por aborto no México.

Estados Unidos

Já está sendo convocado um "scarfazo" (de scarf, lenço em inglês) para o 6 de agosto em solidariedade ao movimento pelo aborto legal na Argentina. As convocações chamam para se concentrar no Washington Square Park a partir das 16 horas.

Costa Rica

Em San José, Costa Rica, uma mobilização está sendo preparada para a Casa Presidencial no 8A às 16 horas.

O Pão e Rosas Costa Rica se soma às organizações que convocam a solidariedade ao movimento das mulheres argentinas nesta data decisiva. Como parte da ação de solidariedade se exigirá também a abertura do debate no país e a imediata aplicação do protocolo de aborto não punível.

Também é preparado em Paris pañuelazo em solidariedade às argentinas no 8A.




Tópicos relacionados

8A   /    Legalização do Aborto   /    Aborto   /    Pão e Rosas   /    Direito ao aborto   /    Gênero e sexualidade   /    Internacional

Comentários

Comentar