Política

STF

Aprovado no Senado, o reacionário Moraes é o novo ministro de Temer no STF

Nesta quarta-feira, 22, o Senado aprovou por 55 votos a favor, 13 contra e nenhuma abstenção, o nome de Alexandre de Moraes, indicado por Temer, para o ocupar a vaga de Teori Zavascki no STF.

quarta-feira 22 de fevereiro de 2017| Edição do dia

Moraes era filiado ao PSDB até ser indicado por Temer, e tem sua carreira como ex-secretário de Segurança Pública de Alckmin e ex-Ministro da Justiça marcado por sangue e repressão.

O porta-voz da presidência saudou com cinismo a aprovação: "Moraes prestará contribuição relevante à realização da justiça no Brasil durante seu mandato no STF, pautado sempre pela mesma independência, imparcialidade e apego resoluto às disposições de nossa Constituição Federal que caracterizam sua trajetória pessoal".

O novo nome do STF é a aposta de Temer para tentar estancar a sangria da lava-jato. Moraes já declarou em reunião com senadores que as prisões da lava-jato não podem durar “ad eternum”, com pressa para libertar os seus e mostrando que tentará impor limites à operação.

É uma nomeação que aponta para um STF ainda mais punitivo e repressor por um lado, principalmente com a juventude e os negros, por outro um STF que vá garantir a impunidade aos tucanos e figurões do governo Temer (inclusive ao próprio presidente).

Passou também por uma sabatina ontem, 21, em que afirmou que atuará com “neutralidade e imparcialidade”, fugindo de polêmicas para se mostrar como um nome “neutro” frente às questões colocadas. Como se fosse possível haver imparcialidade no STF regado à arbitrariedades e privilégios.




Tópicos relacionados

Alexandre de Moraes   /    Operação Lava-Jato   /    Governo Temer   /    STF   /    Política

Comentários

Comentar