Cultura

RACISMO NA TV

Apresentador da Record que chamou Ludmilla de “macaca” é demitido

Após repercussão, Record TV demite apresentador do Distrito Federal que ofendeu a cantora em seu programa.

quarta-feira 18 de janeiro de 2017| Edição do dia

Na tarde dessa quarta-feira (18), a Record TV anunciou a demissão do apresentador Marcão do Povo, que estava à frente do programa Balanço Geral DF. Marcão foi acusado de racismo por Ludmilla, por tê-la chamado de “macaca”.

Tal fato ocorreu quando o apresentador falava a respeito de uma notícia sobre Ludmilla supostamente ter combinado com o garçom de um restaurante carioca para que ele mentisse que ela estava gripada para evitar que os fãs se aproximassem para tirar fotos. “É uma coisa que não dá para entender. Era pobre e macaca. Mas pobre pobre mesmo”, disse Marcão.

A emissora de TV, de propriedade de Edir Macedo, bispo da Igreja Universal, divulgou uma nota sobre o caso: “A Record TV vem a público lamentar os transtornos causados à cantora Ludmilla, sua família e seus fãs motivados por um comentário feito pelo apresentador Marcão no Balanço Geral DF. A Emissora repudia qualquer ato dessa natureza e afirma que este tipo de conduta não está na linha editorial de nosso Jornalismo. Por este motivo, a Record TV Brasília optou por rescindir o contrato do apresentador Marcão”.

O empresário da cantora, Alexandre Baptestini, anunciou que Ludmilla entrará com um pedido de prisão contra Marcão. Em uma rede social, a funkeira declarou: “Infelizmente, ainda existem pessoas que não compreendem que a discriminação racial é crime e alguns, ainda usam o espaço na mídia para noticiar mentiras ao meu respeito, ofender, menosprezar e propagar todo o seu ódio. Não deixaremos impune tais atos, trata se de um desrespeito absurdo, vergonhoso”.

Não será a primeira vez que Ludmilla moverá um processo judicial por racismo. A cantora já processou a milionária Val Marchiori, que em uma transmissão televisiva de carnaval disse que ela tinha “cabelo de Bombril”.




Tópicos relacionados

Racismo   /    Cultura   /    Negr@s   /    Gênero e sexualidade

Comentários

Comentar