Educação

RIO GRANDE DO SUL

Após parcelamento, professores do RS aprovam greve contra Sartori

A proposta foi de aprovar greve até sexta-feira, quando ocorrerá nova assembleia.

terça-feira 1º de agosto| Edição do dia

Assembléia em frente ao Palácio Piratini hoje (1) pela manhã aprova greve até sexta feira. Cerca de 2 mil professores, de distintas cidades do estado, compareceram à votação que foi praticamente unânime, salvo algumas abstenções.

A decisão ocorreu logo após o governador Sartori parcelar o salário dos servidores mais uma vez, dessa vez iniciando o segundo semestre com apenas R$ 650,00 no bolso. Parte da categoria se indignou profundamente. A proposta de aprovar greve até sexta-feira, feita pela direção central do sindicato e também defendida pela oposição, visa construir a mobilização nas escolas para a categoria voltar com mais educadores na próxima assembleia que será sexta-feira (4).

Os professores estão exaustos e sofrendo com o congelamento e parcelamento dos seus salários. Sartori segue sua agenda assim como Temer de descarregar a crise nas costas dos trabalhadores. É essencial construir a mobilização em cada escola para que os professores decidam pela greve também em seus locais de trabalho tomando a luta em suas mãos.

O esquerda diário se coloca à disposição dessa batalha de professores e o Movimento Nossa Classe está a disposto a dialogar com qualquer disposição de luta desses trabalhadores em educação para dar visibilidade às condições precárias do magistério público estadual e impulsionar uma luta concreta, efetiva, que realmente tenha condições de derrotar os ataques do governo Sartori.




Tópicos relacionados

Sartori   /    Greve Professores RS   /    Porto Alegre   /    Educação   /    Professores

Comentários

Comentar