Política

GOLPE INSTITUCIONAL

Após idas e vindas PSDB vai ao STF contra direitos políticos de Dilma

quinta-feira 1º de setembro| Edição do dia

O PSDB vai entrar nesta sexta-feira, 2, com um mandado de segurança no Superior Tribunal Federal (STF) para reverter a decisão do Senado de permitir que a ex-presidente Dilma Rousseff exerça funções públicas. O recurso será assinado também pelo DEM.

Um vai e vem errático do tucanato depois da vitória no Senado. Depois do Senado depor a presidente a mesma casa votou pela manutenção de seus direitos políticos, com o explícito apoio do influente cacique do PMDB, Renan Calheiros. Minutos após esse evento o líder do governo golpista no Senado, o tucano paulista Aloysio Nunes entregou seu cargo e o líder do PSDB no Senado, Cássio Cunha Lima foi à TV declarar que opinava que o PSDB deveria romper com o governo. Aécio colocou panos quentes e durante o dia de hoje o recuo era ainda maior sequer questionariam no STF o fato. Agora em novo movimento errático declararam que entrarão com ação.

Temiam que questionar a constitucionalidade desta votação poderia abrir ao STF a margem de julgar a constitucionalidade do mérito do impeachment. Preferiram arriscar. Entre a "grande ruptura de ontem" o "recuo total" de hoje de manhã, a medida parece ser um intermediário que consolida o PSDB como uma ala das forças golpistas que quer levar até o final a pressão contra o PSDB seja para capitalizar em suas candidaturas municipais, como é o discurso televisivo do empresário paulista João Dória, ou mesmo para oferecer-se como alternativa à direita.

Com a crise de representatividade amplas parcelas da população estão se abrindo a novas idéias à esquerda e à direita. Como vimos nos EUA com a pressão do Tea Party primeiro e depois de Trump todo centro do debate do Partido Republicano deslocou-se muito à direita. Poderia estar acontecendo o mesmo com o PSDB de meros neoliberais passaram a golpistas e daí a posições mais duras de direita propriamente?




Tópicos relacionados

STF   /    Política

Comentários

Comentar