Após diversos casos de homofobia na Copa da Rússia, Liniker cancela show

Douglas Silva

Estudante da UFJF

quinta-feira 28 de junho| Edição do dia

Como ato político contra os vários casos de homofobia relatados na Copa da Rússia e com “mensagens de fãs preocupados”, Liniker comunica cancelamento de show na Rússia e faz críticas ao governo de Putin.

A cantora se apresentaria com a banda Os Caramelows neste sábado (30) na Casa Brasil, espaço dedicado à cultura brasileira na Copa do Mundo.

"Mesmo sabendo de episódios críticos de homofobia no país, [a cantora e sua banda] consideraram, em um primeiro momento, fazer da sua participação um ato político", diz uma nota divulgada pela assessoria de imprensa.

"Após o início da competição, muitos casos de ataques a LGBTs ocorreram e é revoltante ver a maneira como o governo russo lida, ou melhor, não lida com a situação, como se alimentasse a intolerância."

A União Soviética que foi o primeiro país a cumprir a descriminalização da homossexualidade, hoje - após todos os retrocessos fruto da burocratização do estado operário no comando de Stalin e da restauração capitalista - se encontra no centro de vários relatos de homofobia durante a Copa do Mundo e das políticas levadas a cabo pelo governo russo, como a lei aprovada em 2013 que veta a “propaganda gay” como forma de promover os “valores tradicionais russos” e contra o “liberalismo ocidental”.

A lei prevê multas de até 5.000 rublos (R$304) ou prisões à quem “promover relações sexuais não tradicionais”.

Sendo assim, Liniker e o grupo Caramelows, depois de várias mensagens de fãs preocupados anunciaram o cancelamento do show.




Tópicos relacionados

Copa do Mundo   /    Vladimir Putin   /    Rússia   /    Homofobia e Transfobia

Comentários

Comentar