Política

RIO DE JANEIRO

Após descumprir promessa eleitoral do IPTU, Crivella castiga opositores e favorece apoiadores

Primeiro e segundo escalão sofreram mudanças para favorecer vereadores aliados do bispo da Universal.

Juan Dias

RIO DE JANEIRO

quinta-feira 14 de setembro| Edição do dia

31 dos 51 vereadores apoiaram a mudança nas regras de cobrança do IPTU. O bispo prefeito da igreja universalja começou a retribuição de favores entre os aliados, método muito utilizado entre os políticos da ordem na administração dos negócios da burguesia e que muitas vezes terminam nos grandes esquemas de corrupção que são atualmente a regra na política brasileira. O esquema de Crivella para manter seu projeto de governo ligado aos interesses da Igreja Universal começou antes da votação final do projeto do IPTU.Teresa Bergher (PMDB), por exemplo foi exonerada do cargo da Secretaria de desenvolvimento Social e Direitos Humanos ainda em agosto pois se manifestou contrária à mudança proposta por Crivella. Júnior da Lucinha (PMDB), Carlo Caiado (DEM) e Chiquinho Brazão (PMDB). Também foram prejudicados por votar contrários ao projeto de Crivella. Inclusive assessores indicados por Teresa Bergher para postos estratégicos foram exonerados junto com a pemedebista.

O pagamento de favores inclui a indicação para dirigir a Secretaria municipal de Desenvolvimento Social e Direitos Humanos. Inclusive dividindo uma subsecretaria em duas para assim ter mais um cargo. O principal nome é o deputado estadual do PMDB Pedro Fernandes filho de Rosa Fernandes vereadora do PMDB. Outros 7 nomes deixarão cargos no próximo período.

Teresa Bergher afirma estar chocada com o absurdo da troca de favores implemementado por Crivella. Mas essa não é prática nova na política burguesa. O que este conflito evidencia é o distanciamento entre o projeto de Edir Macedo, da Igreja Universal com Marcelo Crivella à frente da prefeitura e o projeto do PMDB implementado nos governos de Eduardo Paes. Esse conflito e suas contradições já se expressaram no processo eleitoral em 2016 quando o candidato da continuidade Pedro Paulo após vir a conhecimento público os casos de violência domestica do pemedebista e a impossibilidade dos impulsores do projeto levantado por PAES e o PMDB não conseguirem no segundo turno uma figura que representasse seus interesses tendo como candidaturas Crivella e Freixo.

A mudança nas regras de cobrança do IPTU nos imóveis da cidade, tendo como previsão a arrecadação de aproximadamente R$600 milhões a mais cada ano. O aumento pode chegar até 70% em duas fases sendo a maior parte implementada a partir de 2018 concluindo o reajuste em 2019.

Para comemorar e agradecer o apoio. Crivella ofereceu um luxoso almoço no Palácio da Cidade para os vereadores que votaram junto com Crivella. Tudo pago com o dinheiro dos contribuintes.




Tópicos relacionados

Marcelo Crivella   /    Rio de Janeiro   /    Política

Comentários

Comentar