Sociedade

AUMENTO DO GÁS FAZ VÍTIMAS

Após aumento do gás, três pessoas morrem em Pernambuco ao buscar alternativas baratas

Desde o aumento do preço do gás, famílias tem recorrido à alternativas menos custosas porém muito mais perigosas. Uma família sofreu uma explosão por um gás contrabandeado: três morreram.

domingo 17 de dezembro de 2017| Edição do dia

Desde o último aumento do preço do gás, o botijão pode ultrapassar 80 reais. Em São Paulo, o preço do botijão pode chegar a 88 reais. Nessas condições, famílias que vivem em situações precárias e precisam escolher entre comprar comida ou comprar o gás, buscam alternativas mais baratas.

Entretanto, essas alternativas custam a segurança e muitas vezes a vida dessas famílias. Muitos casos são acompanhados de queimaduras pelo uso de etanol, comprado em postos de gasolina, que são a primeira alternativa buscada pelas famílias pobres.

Mas houve um caso fatal em Pernambuco: a família de Roberto Balbino, 62, não dispunha dos 82 reais para comprar o botijão de gás. A família procurou um vendedor clandestino, que vendeu o botijão por 65 reais. Após instalado, houve um vazamento de gás que levou a explosão da casa de Roberto, que ficou ferido junto à mais seis familiares. Sua filha e seus dois netos faleceram na hora.

Esse é o preço que o capitalismo cobra: a vida de trabalhadores e famílias que vivem à deriva de condições dignas. O aumento do preço do gás, força famílias como a de Roberto à recorrerem a tais alternativas que cobram como preço suas próprias vidas, por se verem obrigados a escolher entre comer ou cozinhar.




Tópicos relacionados

Capitalismo   /    crise econômica   /    Sociedade

Comentários

Comentar