Educação

ATO DE PROFESSORES SP

Após assembleias dividas, professores de SP fazem ato unificado a despeito da vontade da burocracia sindical da APEOSP

No dia 26/08, os professores municipais e estaduais fizeram suas respectivas assembleias, e após o fim dela, saíram em um ato unificado, com milhares profissionais da educação, para a Avenida Paulista com destino ao escritório da presidência.

sábado 27 de agosto| Edição do dia

1 / 3

Os motivos foram os diversos ataques que o funcionalismo irá sofrer, por meio dos ataques desse governo golpista, com a PLC 257 a qual da aval para os estados ajustarem o gastos em serviços públicos e trabalhadores, a PEC 241 que é um ataque brutal para os trabalhadores públicos, pois não permitirá mexer no orçamento por 20 anos, além do não reajuste salarial que os professores estaduais tem por dois anos, ao projeto criminoso da escola sem partido e a Sampa Prev, que é um ataque a previdência dos professores municipais. Tudo isso para repassar recursos público para o setor privado nacional e internacional.

Os professores municipais e estaduais uniram-se em ato, contudo, não houve uma mobilização de ambas burocracias sindicais, encasteladas por anos em seus cargos, e bem longe dos professores, do dia a dia, bruto e agonizante, dos trabalhadores da educação. Na parte da Assembléia do estado, Bebel fez uma manobra para que não votássemos a unificação do ato, e fez uma saída rápida com o caminhão de som, fazendo com que o ato saísse com certa dificuldade para unificação.

Mas enfim, o ato unificou, e dai?

Não houve um empenho real em unificar as duas categorias em uma assembleia única, com um calendário único, com ampla democracia de base, para que qualquer educador possa se expressar. A assembléia dos professores esta agendada somente para o dia 22/09 com indicativo de greve, ou seja, um mês depois, em que os professores unificaram e dispuseram toda a sua energia em um ato unificado minando assim as esperanças e a mobilização de uma categoria já tão sofrida.

Queridos professores, companheiros de luta, não deixemos que essas burocracias sindicais limitem a nossa luta, nos divida artificialmente entre professores municipais e estaduais. Não! Somos todos professores com demandas parecidas e padecemos dos mesmos sofrimentos na árida rotina da sala de aula, lotada, com baixa recurso, imersos em uma enorme burocracia, vigiados pelas direções e sofrendo muitas vezes violência... Essa burocracia não sabe mais o que é isso, de tanto tempo que estão afastados, na sua (dis)função burocrática de arrasar com a luta dos trabalhadores...

Façamos que nem os garis do Rio de Janeiro, que passaram por cima da burocracia e fizeram pelas suas próprias mãos uma greve fortíssima. Não nos enganemos, PT e PSDB estão juntos para passar os ajustes em cima da classe trabalhadora.

Façamos as burocracias as exigências de assembleias unificadas, com um calendário único, e ampla democracia de base! Que rompamos com o corporativismo que tanto nos divide e enfraquece, a luta é uma só! Unidade já!!!




Tópicos relacionados

Educação   /    Professores

Comentários

Comentar