Política

PRIVATIZAÇÕES E REFORMAS

Após ajudar Temer, Maia anuncia prioridades: privatizações e ataque à aposentadoria

Diante do enfraquecimento de Michel Temer, o presidente da Câmara dos Deputados busca se alçar como o político ideal para a implementação dos ataques burgueses.

quinta-feira 26 de outubro| Edição do dia

Mesmo com a enorme desaprovação popular e algumas divisões na base, o presidente golpista Michel Temer – com a ajuda de Rodrigo Maia – se safou da segunda denúncia. Com o golpista enfraquecido após gastar mais de 12 bilhões de reais na compra de deputados, agora a avaliação na base aliada é que Temer não tem capital político para aprovar a agenda de ataques que os golpistas querem impor à população. A menos de um ano do início da campanha eleitoral, ninguém quer se desgastar ligando sua imagem ao político mais rejeitado do país para aprovar pautas impopulares.

Diante desse cenário, Rodrigo Maia, presidente da Câmara dos Deputados, começa a articular uma agenda própria da Casa. Buscando se apresentar como o político dos "ajustes" capitalistas, nesse novo momento do governo golpista, e assim preparar o terreno para alçar voos maiores no cenário eleitoral de 2018. Conquistando dessa forma maior protagonismo no cenário nacional, nesse momento de enfraquecimento de Temer.

Entre as prioridades do presidente da Câmera está a aplicação da odiosa Reforma da Previdência, que vai obrigar os trabalhadores e a juventude a trabalhar até morrer. A partilha de pelo menos 30% do petróleo nacional, concedendo nossas riquezas naturais para grandes empresas imperialistas, garantindo o lucro dos grandes capitalistas. E uma agenda de debates e ações no que dizem respeito à segurança pública, articulada juntamente com Alexandre de Moraes, o que com certeza será destinada a promover o aumento da repressão contra a população pobre, especialmente os negros, e nunca para efetivamente acabar com a violência inerente a um sistema baseado na imensa desigualdade social, como o que vivemos.

Mais uma vez, os políticos burgueses mostram que suas prioridades são atacar a população pobre e trabalhadora, para que sejamos nós aqueles que vão pagar por essa crise que os capitalistas criaram. Para barrar os ataques de Maia e do governo golpista de Temer, precisamos mobilizar o conjunto da classe trabalhadora, em primeiro lugar com solidariedade ativa às greves no Rio Grande do Sul, para dessa forma conseguir retomar o caminho da greve geral e impor a revogação da Reforma Trabalhista, impedir a Reforma da Previdência e as privatizações.

Foto: DIDA SAMPAIO/ESTADÃO




Tópicos relacionados

Rodrigo Maia   /    Reforma da Previdência   /    Governo Temer   /    Michel Temer   /    Privatização   /    Política

Comentários

Comentar