Mundo Operário

FÁBRICA OCUPADA

Após 60 dias, Flaskô tem sua energia religada

Depois de 60 dias - e de um prejuízo que pode chegar a R$ 1,5 milhão -, a fábrica sob controle operário localizada em Sumaré tem sua energia religada pela CPFL.

quinta-feira 1º de junho| Edição do dia

Sem energia elétrica desde o dia 30 de março, a Flaskô, localizada em Sumaré-SP, e que produz embalagens para a indústria petroquímica, teve sua energia religada no último dia 30 de maio. O corte de energia, efetuado pela CPFL - que rompeu unilateralmente as negociações mantidas com os representantes da fábrica -, causando um enorme prejuízo à fábrica que, desde 2003, está sob controle operário. O prejuízo é estimado em cerca de R$ 1,5 milhões.

A Flaskô tem sido alvo de inúmeros ataques desde que foi ocupada em 2003. Nós do Esquerda Diário e do MRT nos solidarizamos com os trabalhadores da Flaskô na sua luta e comemoramos a volta da fábrica às suas atividades para que possa produzir e seguir em frente.




Tópicos relacionados

Campinas   /    Mundo Operário

Comentários

Comentar