Política

ELEIÇÕES 2016 RIO

Apoiadores de Freixo criam site para desmentir calúnias contra o candidato

Os boatos - envolvendo calúnias e difamações de todo tipo - que a direita cria para combater seus adversários não são nenhuma novidade. Contudo, o fenômeno eleitoral representado por Marcelo Freixo elevou esses ataques a um patamar muito maior, gerando uma resposta por parte dos apoiadores da sua campanha para fazer frente a grandes caluniadores da direita, como o pastor Silas Malafaia.

segunda-feira 10 de outubro| Edição do dia

As informações que a direita mais reacionária tem utilizado para combater a imensa popularidade que vem ganhando Marcelo Freixo - levando o candidato à prefeitura do Rio pelo PSOL ao segundo turno apesar de ter contado com apenas 11 segundos de campanha durante o primeiro turno e enfrentar candidaturas dos partidos tradicionais apoiadas por grandes empresas - misturam posições reais do candidato a uma série de invenções absurdas que seus adversários tentam disseminar para confundir o eleitorado.

Entre os detratores, o mais virulento e sem pudor de inventar e divulgar qualquer tipo de absurdo é o pastor Silas Malafaia, notório cabo eleitoral de figuras como Serra à prefeitura de São Paulo em 2012 e Aécio Neves para a presidência em 2014. Malafaia foi indicado pela revista americana Forbes como o terceiro pastor mais rico do Brasil em 2013, com um patrimônio, na época, de 150 milhões de dólares - o que foi negado por ele. Durante as eleições de 2016, tem sido linha de frente das calúnias e besteiras de todo tipo contra Freixo, postando algumas delas em sua conta no Twitter, onde é seguido por 1,3 milhão de pessoas:

Malafaia utiliza a defesa de Freixo à realização da Parada do Orgulho LGBT no Rio para disseminar a LGBTfobia abertamente:

Isso considerando que mesmo o reacionário Crivella afirmou no debate apoiar a realização da Parada como combate de instrumento à intolerância.

O mesmo ocorre em sua página no Facebook, onde possui mais de 1,7 milhões de seguidores, e reproduz um vídeo com críticas de um Padre à "ideologia de gênero", em que prega o machismo e a LGBTfobia, combatendo a educação sexual e de gênero nas escolas:

Note-se que o Padre não é carioca (é do Mato Grosso), e sequer menciona Freixo, mas Malafaia posta o vídeo em sua página com o título "MARCELO FREIXO QUEM É?" para tentar capitalizar um suposto apoio dos católicos contra Freixo.

Antes de Malafaia, veículos da mídia patronal já difundiram boatos de forma confusa intencionalmente, como a célebre manchete do G1 em 2014 quando se tentou ligar Freixo aos acusados pelo assassinato do jornalista Santiago Andrade durante protestos. A manchete, que virou meme nas redes, era: "Estagiário de advogado diz que ativista afirmou que homem que acendeu rojão era ligado ao deputado estadual Marcelo Freixo".

Das posições reacionárias e confusões, às mentiras deslavadas

Contudo, o desespero de Malafaia e Bolsonaros com o crescimento de Freixo ultrapassou o limite de defenderem suas posições, e passaram diretamente às calúnias: passou a circular pelo Whatsapp um áudio com uma imitação da voz de Freixo em que são veiculadas críticas aos taxistas. Outro áudio afirma que Freixo comporia um gabinete de secretários incluindo Dilma na Secretaria das Finanças. Ainda foi atribuída a Freixo a autoria de uma frase: "Quando for assaltado, aceite, pois o bandido é uma vítima da sociedade". O Whatsapp é o veículo preferencial para esse tipo de boato pois os áudios viralizam facilmente e é difícil rastrear sua origem e autoria.

Comentando esses boatos, Freixo disse:

"Esse início de segundo turno está muito triste. É de um nível baixíssimo da realização política. O que algumas forças políticas aliadas ao Crivella... Ele pode até dizer que não sabe, que não parte dele. Não interessa, ele não se pronunciou. O que determinadas forças políticas, eu cito o Malafaia e cito (a família) Bolsonaro, estão fazendo nas redes sociais como forma de fazer política é uma agressão ao processo democrático. O nível de boato, de crimes cometidos, com gravações fingindo que é a minha voz, ofendendo determinadas categorias. Isso é crime."

Apoiadores de sua campanha criaram a página "A verdade sobre Freixo", em que desmentem diversos boatos sobre o candidato e esclarecem suas posições. Em alguns desses esclarecimentos, procuram atenuar posições para não se enfrentar diretamente com um eleitorado conservador.

Nós do Esquerda Diário consideramos fundamental uma atuação militante nas redes sociais, nos nossos veículos de mídia dos trabalhadores e da esquerda, e nos locais de trabalho e estudo para desmentir todo tipo de calúnia e boato criado pela direita, pela mídia patronal e pelos nossos inimigos para tentar enfrentar uma candidatura que se coloque à esquerda. Contudo, consideramos que é fundamental levar adiante uma posição anticapitalista, numa postura consequente contra o conservadorismo, como defendeu Carolina Cacau neste artigo, de enfrentamento com essa ordem e suas instituições, para poder fazer frente aos ataques reacionários de setores como Malafaia e Crivella, que só se intensificarão daqui para frente.




Tópicos relacionados

Eleições Rio de Janeiro   /    Eleições 2016   /    Rio de Janeiro   /    Política

Comentários

Comentar