Antiga estação de Diamantina pode ser privatizada

A antiga estação ferroviária de Diamantina, da região central de Minas Gerais, que funcionou nos anos 1970, pode ser integrada ao programa de parcerias privadas, segundo resolução já publicada no Diário Oficial da União. Para este ano ainda estão previstos leilões de concessões de ferrovias, terminais portuários, linhas de transmissão de energia elétrica e de parques nacionais.

terça-feira 2 de fevereiro| Edição do dia

De acordo com o programa ultraliberal e privatista do Ministério da Economia, anunciado no dia 2 de dezembro, que inclui Eletrobrás e Correios na lista de privatizações de 2021, estão inseridos também as privatizações da Trensurb e da Companhia Brasileira de Trens Urbanos (CBTU). O governo Bolsonaro deseja também privatizar a Serpro, a Dataprev e a Telebras no primeiro trimestre de 2022. Com aval da presidência da Câmara e do Senado, com os atuais presidentes apoiados pelo governo, o caminho será ainda menos tortuoso.

Além das declarações oficiais, é bastante claro que outros setores entre para a lista de megaempresários ansiosos por tomar em mãos patrimônios públicos que servem à população, para oferecer serviços precarizados, terceirização do trabalho e preços exorbitantes, medidas que aumentam seus lucros, o que em última instância desejam. Restringindo o acesso público a bens culturais, como o caso da Antiga Estação Ferroviária de Diamantina e terceirizando a contratação de trabalhadores (com menos direitos) são uma das consequências imediatas desta medida.




Tópicos relacionados

Paulo Guedes   /    Governo Bolsonaro   /    Minas Gerais   /    cultura   /    Privatização

Comentários

Comentar