Negr@s

ENCONTRO DE TRABALHADORES NEGROS

Anticapitalismo e marxismo: a melhor estratégia para lutar contra o racismo

sexta-feira 21 de outubro| Edição do dia

O preconceito de cor como justificativa para a escravidão é uma invenção capitalista.

Para poder escravizar, foi preciso dizer que os negros não tinham alma, não tinham idioma, não tinham cultura. Com essa mentira, o racismo ao longo de tantos séculos foi transformado para continuar servindo como meio de ganhar mais lucro, fazendo com que negros recebam menos do que os brancos, com que morram mais cedo e vivam em condições piores de moradia.

Desde que estourou a crise e a vimos chegar ao Brasil, fica cada vez mais claro que o capitalismo precisa do racismo para existir. Na Europa, impedem entrada de imigrantes; nos Estados Unidos, concorrem às eleições Trump, um bilionário racista, e Hillary Clinton, uma defensora das invasões militares norte-americanas no Oriente Médio, na África e no Haiti.

No Brasil, quando nossa economia começou a desequilibrar, vimos que os negros foram os primeiros a perderem seus empregos. Vimos também nossas religiões serem atacadas, aumentaram os assassinatos pelas mãos da polícia e o governo golpista de Temer vem aprovando uma série de medidas de cortes e congelamento de orçamento que vão tirar saúde e educação dos negros, que são os que mais utilizam o sistema público.

Infelizmente, na trajetória da esquerda brasileira e mundial, houve muito distanciamento entre a esquerda e o movimento negro, fruto de profundos erros políticos como o do Partido Comunista Brasileiro. Isso porque ao se aliar com a elite nacional que tanto se beneficia do racismo, foi preciso ignorar a luta dos negros pois não era possível combater o racismo de maneira consequentemente aliados a essa classe de patrões.

Aqui queremos lembrar de outra tradição, onde os negros sempre ocuparam um lugar de destaque na luta contra o sistema capitalista. Das fileiras do trotskismo vieram figuras como CLR James, autor de “Jacobinos Negros”, principal obra histórica sobre a Revolução Haitiana. Para celebrar essa tradição, publicamos alguns dos principais artigos elaborados pelo Socialist Workers Party, entre os anos de 1920 e 1940 no livro “A Revolução e o Negro”.

A luta contra o capitalismo é uma luta contra o racismo e vice-versa. É impossível derrotar um sem acabar com o outro, e por isso chamamos você a ser uma voz contra o capitalismo e o racismo.




Tópicos relacionados

Racismo   /    Movimento Negro   /    USP   /    São Paulo (capital)   /    Negr@s   /    Mundo Operário

Comentários

Comentar