Angolano é assassinado em ataque racista. Política xenofóbica de Bolsonaro é responsável

João Manoel, angolano de 47 anos, foi assassinado neste domingo (17) em Itaquera, São Paulo. De acordo com outras dois estrangeiros que moram na região e que tentaram impedir o ataque teve motivação xenofóbica e racista. Conforme o depoimento de refugiados, houve o aumento de ameaças e agressões contra eles nesta região.

quarta-feira 20 de maio| Edição do dia

Domingo (17) João Manoel foi mais uma das vítimas do racismo estrutural capitalista. Em uma discussão sobre o auxílio emergencial, que ainda não foi pago pelo governo Bolsonaro para milhares de pessoas que necessitam, o homem foi esfaqueado por auxiliar de mecânico.

Outros dois homens, também estrangeiros, ao tentarem impedir o ataque foram agredidos. Ambos já foram liberados do hospital e em entrevista para o G1 confirmaram que o assassinato de João foi um ataque racista e que a discussão começou quando o auxiliar de mecânico disse que “os estrangeiros só queriam receber dinheiro do governo, enquanto os brasileiros estão sofrendo".

“Eu queria defender o meu irmão. Foi racista, ele deixou claro que foi racismo, porque ele estava a falar que ia matar meu irmão, mas dando risada, tipo como se fosse matar um animal”, relata.

Estrangeiros locais relatam também que houve um aumento no número de ameaças e agressões a estrangeiros. Alguns, mudaram-se da região em função disso.

O assassinato de João Manoel expressa o racismo estrutural brasileiro, assim como retrata o descaso do governo com a população, posto que um enorme contingente de pessoas está há muito tempo aguardando a liberação do auxílio emergencial que, sequer é um valor suficiente para atender às necessidades da população.

No marco da crise econômica, social e sanitária que vivemos, é preciso levantar a luta por uma renda mínima de 2.000 reais para a população, bem como devemos lutar contra as demissões dos trabalhadores e a igualdade salarial entre brancos e negros, brasileiros e estrangeiros.

Partindo da relação entre o racismo e a crise do coronavírus, mais do que nunca é necessário combater todo tipo de xenofobia, incentivada pelo bolsonarismo, mas também por trump, que expressam a face profundamente racista do capitalismo.




Tópicos relacionados

Auxílio emergencial   /    Coronavírus e racismo   /    Racismo   /    Jair Bolsonaro   /    São Paulo

Comentários

Comentar