Política

PT SINALIZA ALIANÇA COM GOLPISTAS NO RIO

André Ceciliano, deputado do PT no Rio, defende aliança com o DEM

O deputado estadual e atual presidente da Alerj, André Ceciliano (PT), defende a possibilidade de seu partido apoiar o candidato do DEM ao governo do Rio, Eduardo Paes, em troca do apoio do partido no Rio a seu eventual candidato à presidência.

Fernando Pardal

@fepardal

sexta-feira 27 de abril| Edição do dia

A notícia do jornal O Dia traz uma declaração do deputado estadual André Ceciliano, atual presidente da Assembleia Legislativa do Rio (Alerj), defendendo a aliança política e explicando como se daria a troca de apoios entre DEM e PT: “Caso o Rodrigo Maia (DEM) não seja candidato à Presidência, o DEM fluminense pode apoiar o nosso candidato ao Planalto, seja o Lula ou outro nome. Em troca, apoiaríamos o Eduardo Paes (DEM) ao Palácio Guanabara”

André Ceciliano é um conhecido defensor dos ataques dos patrões no Rio: votou a favor da privatização da CEDAE; depois, já na presidência da Alerj após a saída de Picciani (MDB), Ceciliano foi quem conduziu a votação de novos ataques, como colocando em votação o aumento da alíquota previdenciária dos servidores, ou a adesão ao plano de recuperação fiscal que fez parte da chantagem de Temer e Pezão contra o povo carioca.

Os agrados ao DEM por parte de Ceciliano vêm combinados ao pedido para que Maia permaneça na presidência da Câmara, ou seja, abra mão de sua candidatura, o que seria um passo adiante para consolidar a aliança: "O Rodrigo Maia, como presidente da Câmara, foi uma grata surpresa. O Estado do Rio não pode prescindir da Presidência da Câmara", disse o deputado petista.

Ceciliano, contudo, evidentemente não age sozinho ao costurar um possível acordo com o DEM: ele é muito próximo do atual presidente do PT-RJ, Washington Quaquá, ex-prefeito de Maricá e que há pouco menos de um ano escreveu um artigo na revista Fórum no qual dizia: “Devíamos operar seriamente a organização de uma nova agremiação, que talvez nasça maior até que o PT, e que seja a base das alianças com o establishment político-burguês. Fazer como Getúlio fez com o PSD. O presidente Lula deveria organizar diretamente um partido burguês para chamar de seu.” Nele, se orgulhava de aliança com Renan e outras figuras da podre política nacional se aliando ao PT e dizia que “não se ganha eleição e não se governa sem conseguir deslocar uma parte da elite política e econômica”.

Parece que agora Quaquá e Ceciliano querem “deslocar” o PT rumo ao colo do DEM para estabelecer uma aliança eleitoral, repetindo a nada nova estratégia petista de se aliar com o que há de mais reacionário na política nacional em troca de uma barganha de votos para estar no comando do Estado.

Se, como já apontamos antes, Lula vinha se esforçando para costurar alianças com os golpistas antes de sua prisão, é mais do que natural que nessa eleição surjam por todo o país novos acordos dos petistas com a direita.

Presidentes do PT-RJ e do PP-RJ, Quaquá e o vice-governador Franciso Dornelles almoçaram juntos anteontem, de acordo com a notícia no Dia. Pode ser o início de uma aliança estadual entre PP, DEM e PT.




Tópicos relacionados

Alerj   /    PT   /    Rio de Janeiro   /    Política

Comentários

Comentar