Juventude

ESCOLA OCUPADAS NO RS

Alunos são agredidos, ameaçados de morte e sofrem tentativa de sequestro em Caxias do Sul

segunda-feira 20 de junho de 2016| Edição do dia

Durante este último domingo (19), um grupo de "pais" fascistas do movimento desocupa encurralaram na rua alunos que estão ocupando o Instituto Estadual Cristóvão de Mendoza, em Caxias do Sul, ameaçando-os de morte. Dois alunos estavam em frente ao colégio, na rua, no momento em que um carro apareceu com quatro homens dentro que desceram do carro e correram em direção aos alunos com o intuito de agredi-los dizendo que iriam matá-los. Um dos alunos conseguiu fugir, enquanto a outra foi pega pelos agressores e depois fugiu. Logo depois os dois correram e entraram na escola a tempo de fechar a porta, impedindo os agressores de qualquer ação ainda mais violenta.

Em seguida alguns pais tentaram pular o portão, quando uma vizinha que viu a perseguição chegou filmando toda a cena. Um homem exaltado foi em direção dela aos socos para tentar tirar-lhe o celular, ela conseguiu se defender e pedir socorro para os carros que passavam na rua. Logo após essa cena, a polícia foi acionada. Ao chegar, ao invés de tentar entender o que havia ocorrido, a polícia se colocou do lado dos agressores dizendo que estudante nenhum deveria ocupar sua escola, que aquilo era uma “palhaçada”, mesmo sabendo da possibilidade de risco de vida dos alunos. A vizinha chegou a mostrar o video em que foi agredida, mas mais uma vez nada foi feito por parte da polícia. Um B.O. foi aberto contra esses agressores.

Essa situação de extrema violência vem acompanhando os alunos do Cristóvão de Mendoza há algum tempo. Pais ligados à direção da escola, e a pelo menos um vereador da cidade, invadiram uma parte da escola a fim de coagir os estudantes que ocupam a escola. Durante várias noites já os ameaçaram com cacetetes, armas de choque, rojões estourados, palavras ameaçadoras e chegaram a atirar para cima com uma arma de fogo. Além de cortarem a energia elétrica da parte ocupada pelos estudantes. Todo isso legitimado pela direção.

Nesse cenário é preciso organizar uma ampla defesa da ocupação do Cristóvão e contra todos os ataques reacionários. Todos os apoios possíveis são necessários, é urgente que os apoiadores se dirijam à escola com o intuito de barrar qualquer ação desses setores de direita que se organizam em função dos interesses do governo.

Para além de toda a luta dos estudantes, que mostrou a força dessa juventude e que eles possuem a capacidade de gerir a escola sem o autoritarismo da direção, que são capazes de organizar uma forte resistência contra a precarização do ensino público, a ocupação pode arrancar conquistas parciais. Foi sinalizada a possibilidade de reformas estruturais no prédio a serem efetuadas por parte do governo, como a reforma do auditório. Mas para isso é necessário fortalecer a ocupação. Defender a livre manifestação dos estudantes que ocupam suas escolas é defender o futuro da educação pública de qualidade.




Tópicos relacionados

#OCUPATUDO   /    Caxias do Sul   /    Crise gaúcha   /    Repressão   /    Juventude

Comentários

Comentar