Cultura

CULTURA

Allen Ginsberg mandou os EUA se foder com sua bomba atômica

Irwin Allen Ginsberg nasceu em 1926 numa família judaica em Paterson, no estado de New Jersey, EUA. O pai, Louis Ginsberg era poeta e professor do ensino secundário. A mãe, Naomi Ginsberg era uma imigrante russa e militante do Partido Comunista Americano.

Fábio Nunes

Vale do Paraíba

segunda-feira 15 de agosto| Edição do dia

Na segunda metade da década de 1940 Allen Ginsberg vai para a Universidade de Columbia, em Nova York. Período marcado pelo fim da Segunda Guerra Mundial (1939-1945), a Guerra Fria (disputa pela hegemonia do mundo entre EUA e URSS), o "American Way of Life" (estilo de vida baseado no trabalho exaustivo e no consumo desenfreado) e o "macartismo" (política reacionária de combate ao comunismo).

Na Universidade, Ginsberg foi chamado de louco pelos professores e nos ambientes boêmios da cidade fez amizade com artistas, intelectuais, músicos de jazz e outros "pirados", onde conheceu os escritores William Burroughs, autor do polêmico "Almoço Nu" e Jack Kerouac, de "On the road/ Pé na Estrada". Ginsberg, Burroughs e Kerouac formam o núcleo inicial do que depois viria ser chamado "Beat Generation" ou "Geração Beat", expressão criada no começo dos anos 1950 por John Clellon Homes em um artigo para o New York Times intitulado "This is The Beat Generation".

A "Geração Beat" foi um movimento ou um momento literário que representou uma renovação da poesia e da cultura norte-americana. Influenciados pelos poetas Walt Whitman, William Blake, Arthur Rimbaud e Charles Baudelaire, os beat recusaram a pompa estéril da arte dos gabinetes acadêmicos e levaram uma poesia selvagem para as ruas. Embalados pelo bebop do saxofonista Charlie Parker, maconha, anfetamina e com o "pé na estrada", protestaram contra a perseguição política macarthista, o puritanismo, o racismo e a homofobia institucional, a censura e o "American Way of Life".

Em 1955, em São Francisco, no estado da Califórnia, Ginsberg faz a histórica leitura do seu poema "Uivo" na "Six Galery", um galpão transformado numa galeria de arte. A leitura de "Uivo" é considerado um marco da "Geração Beat". Ginsberg, homossexual assumido, arremessa seu grito de revolta e inconformismo contra as instituições conservadoras do país.

Uivo" é barra pesada. Dedicado ao poeta beat Carl Solomon é a viagem alucinante dos expoentes de uma geração destruídos pela loucura, famintos, histéricos, nus, arrastando-se de madrugada pelas ruas do bairro negro em busca de uma dose violenta de qualquer coisa. "Hipters" esfarrapados com cabeça de anjo ouvindo jazz e com um cinturão de maconha passando por apartamentos, estradas, universidades, delegacias, oceanos e intermináveis orgias. Porre de vinho nos telhados. Sonho, vigília e pesadelo. Porra, buceta, cu & caralho. Foda & anfetamina. "Uivo" choca o visual dos espíritos mais acomodados à um tipo de poesia "bela, recatada e do lar".

Publicado em 1956 pela City Light, editora do também poeta beat Lawrence Ferlinghetti, o livro causou escândalo na Terra do Tio Sam. Assim como o também polêmico "Almoço Nu" de William Burroughs, o "Uivo" foi acusado de obsceno, recolhido pela policia de São Francisco e rendeu um processo contra a editora. Julgado e depois liberado pela Suprema Corte americana se tornou um sucesso de vendas.

Nos anos 1960, Ginsberg se tornou um nome importante da contracultura e atuou ativamente nas manifestações políticas da época. Em 1965 participou da passeata ocorrida na cidade de Berkeley contra a intervenção norte-americana no Vietnã. Criticou o imperialismo mas não caiu no papo reacionário do stalinismo, convidado para participar de uma Conferência de Escritores em Cuba, foi expulso do país por criticar a perseguição do governo de Fidel Castro contra os homossexuais. No mesmo ano, depois de uma viagem à ex-União Soviética e à Polônia, foi eleito por cem mil pessoas o "Rei de Maio" na antiga Tchecoslováquia e expulso do país considerado "persona non grata" pelas autoridades checas.

Em 1967, conhecido como o "ano da Flor", Ginsberg participou do evento "Human Be-in", realizado no Golden Gate Park em São Francisco, que teve a presença de 20 mil jovens e da "Marcha sobre o Pentágono", que reuniu mais de 500 mil pessoas em Washington, no maior protesto realizado até então contra a Guerra do Vietnã. Foi linha de frente no protesto organizado em 1968 contra a indicação de Lindon Johnson como candidato democrata à presidência, manifestação brutalmente reprimida pela policia que ficou conhecida como a "Batalha de Chicago".

O poeta desregrado que influenciou nomes como Bob Dylan e Patty Smith, divulgou em 1972 a participação da CIA no tráfico de drogas no Sudoeste Asiático e visitou os campos de refugiados do Paquistão. Publicou uma pesquisa denunciando o FBI de sabotar a imprensa independente nós EUA. Foi detido em 1978 numa manifestação anti-nuclear por bloquear os trilhos dos vagões que transportavam plutônio. Ginsberg foi objeto de um volumoso dossiê do FBI.

Responsável por dar um pouco de vida à poesia, tirando-a dos gabinetes acadêmicos, Allen Ginsberg carrega uma verdade, mais conhecida como Desejo, sem adornos e desmesurada. Contraditório, chamado de louco e de prolixo, morreu em abril de 1997 vitimado por um câncer no fígado.




Tópicos relacionados

II Guerra Mundial   /    Cultura

Comentários

Comentar