Política

FRAUDE NAS OLÍMPIADAS

Além de comprar votos, Nuzman tentou pagar seu advogado de defesa com recursos do comitê olímpico do Rio-2016

O ex-presidente do COB tentou utilizar os recursos do comitê Olímpico para pagar seu advogado de defesa durante a Operação Unfair Play que culminou em sua prisão na ultima quinta-feira.

segunda-feira 9 de outubro| Edição do dia

A informação consta no pedido do Ministério Publico Federal para conversão da prisão temporária de Nuzman em preventiva por tempo indeterminado. A Procuradoria também pediu a renovação da prisão temporária de Leonardo Gryner, braço-direito do cartola.

Veja também: Presidente do Comitê Olímpico Brasileiro é preso por compra de votos

Em um e-mail impresso apreendido na casa de Nuzman aponta que ele autorizou o uso de 5,5 milhões de reais para pagar o escritório de advocacia de Nélio Machado, que o defende no caso. A mensagem determina o pagamento da quantia em 25 de setembro, enquanto o contrato seria aprovado dois dias depois pela diretoria da Rio-2016. Mesmo o comitê organizador tendo mais de 110 milhões de reais em dividas com fornecedores.

“Mesmo ainda sem a integral análise do material apreendido, já é possível colher indícios suficientes no sentido de que Nuzman continua a atuar em benefício próprio, usando os instrumentos do Comitê Olímpico Brasileiro, bem como sua influência sobre as pessoas que lá trabalham”, afirma a mensagem.

O comitê afirmou que não pagou os honorários dos advogados de Nuzman: “O Conselho Diretor não aprovou o pagamento e a nota foi cancelada”, informou a assessoria de imprensa da entidade.

A prisão determinada pela justiça na quinta é temporária e venceria nesta terça-feira (10). O Ministério Público Federal afirma que os e-mails impressos encontrados na casa de Nuzman indica que ele tinha o objetivo de atrapalhar as investigações.

Veja também: Presidente do COB acusado de comprar votação das Olimpíadas enriqueceu 457% em dez anos

Fonte da Foto: Blog do José Cruz - Uol




Tópicos relacionados

Olimpíadas   /    Corrupção   /    Política

Comentários

Comentar