PESQUISA ELEITORAL

Alckmin, que promove demissão em massa de professores, vegeta nas pesquisas eleitorais

O atual governador de SP, responsável pela demissão em massa de professores do Estado de SP, demonstra enfraquecimento ao ocupar a mesma posição que o reacionário apresentador de TV Luciano Huck, que sequer se declara candidato.

quarta-feira 31 de janeiro| Edição do dia

O levantamento realizado pelo Datafolha nesta semana aponta que Alckmin, possível candidato a presidência pelo PSDB, possui apenas 8% das intenções de voto (ou varia de 6% a 11%).

Com sua pré-candidatura questionada até mesmo dentro do próprio PSDB, o tucano não consegue sequer ultrapassar a candidatura do apresentador de televisão Luciano Huck.

Cada vez mais criticado por seu projeto de precarização dos serviços públicos no Estado de SP, Geraldo Alckmin e suas tentativas de privatizar São Paulo tem sido rechaçadas pelos trabalhadores e pela população. Prova disso é o massivo descontentamento dos professores do Estado de SP com a demissão em massa promovida pelo governo do PSDB com o fechamento de milhares salas de aula em todo o Estado de SP, comprometendo gravemente a qualidade do ensino para milhões de jovens e deteriorando ainda mais as condições de emprego para professores efetivos e contratados.

A única alternativa dentro do PSDB à candidatura de Alckmin é a do prefeito paulistano João Doria, que se encontra em um cenário ainda pior, não conseguindo ultrapassar 5% das intenções de voto.

Isso é sinal de uma crise pela qual enfrenta o PSDB. Os professores do Estado de SP podem, neste momento de fragilidade do tucano, derrotar de uma vez por todas este cadáver que não consegue mais enganar aos trabalhadores. É hora de ir pra cima, junto aos metroviários que também exigem o fim das demissões e o fim das políticas de privatização, derrotar Alckmin nas pesquisas e principalmente nas lutas, deixando claro que ele não pode vender os serviços públicos a empresários a preço de banana!




Tópicos relacionados

Eleições 2018   /    PSDB   /    Alckmin

Comentários

Comentar