Política

GERALDO ALCKMIN

Alckmin faz demagogia eleitoral com reajuste aos servidores do Estado

quinta-feira 4 de janeiro| Edição do dia

Foto: Eduardo Biermann

Hoje os jornais noticiaram o anúncio feito pelo governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, de reajuste nos salários do funcionalismo publico do Estado. Serão 3,5% para todas as categorias do funcionalismo público estadual, sendo 4% para as polícias e 7% para os professores. O que claramente é uma jogada eleitoral do futuro presidenciável tucano, que tenta difundir a notícia como um grande avanço para os trabalhadores nem ao menos cumpre a determinação da lei que no mês passado exigiu aumento de 10,5% para os professores.

A medida foi se tornou oficial a partir de projeto de lei encaminhado à Alesp (Assembleia Legislativa de São Paulo), que retorna aos trabalhos no próximo dia 1º e é retroativo ao primeiro dia do mês. O reajuste será concedido a servidores das administrações direta e autárquica, ativos, aposentados e pensionistas.

O tucano fez demagogia dizendo que a medida só foi possível "graças a um grande esforço de redução de despesas, custeios, aluguéis e de extinção de fundações e venda de avião e helicóptero" para "poder fazer justiça a nossos servidores", mas não falou sobre a defasagem abissal nos salários dos professores que não recebiam reajuste desde 2014, acumulando 23% de perdas inflacionárias.

Até o meio do ano passado o governo do Estado não cumpria sequer a lei nacional que determinava um piso de R$2.298,80 para a categoria, tendo naquele momento pelo menos 10% dos professores ganhando abaixo do determinado pela legislação, isso sem considerar o salário calculado pelo Dieese como mínimo necessário para sustentar uma família de 4 pessoas, que seria de R$ 3.899,66.

Alckmin fez o anúncio em meio à definição de sua candidatura para presidência em 2018 e uma semana antes da implementação do aumento dos transportes na capital paulista, que promete ir de R$3,80 para R$4,00. Dória chegou a fazer provocações falando que as manifestações não terão adesão, já que o valor de R$4,00 facilita o troco, um disparate.




Tópicos relacionados

Professores São Paulo   /    Alckmin   /    Política

Comentários

Comentar