Política

Acompanhe tudo sobre o segundo turno das eleições pelo Esquerda Diário

domingo 30 de outubro| Edição do dia

Acompanhe tudo sobre o segundo turno das eleições municipais deste domingo pelo Esquerda Diário, com cobertura e informações das principais capitais, com correspondentes com análises de norte a sul do país.

Marcadas por uma profunda polarização política e social, a crise de representatividade dos partidos “símbolo” do regime político marca o tabuleiro eleitoral, e gera a separação entre grande parte da população e suas agremiações políticas tradicionais.

Em meio aos ataques que o governo golpista vem avançando pela via do Supremo Tribunal Federal - a reforma trabalhista, previdenciária, a violação do direito de greve - e a crise institucional aberta entre o Legislativo e o Judiciário, e as lutas da educação com a ocupação de mais de 1100 escolas a nível nacional contra a PEC 241, as distintos agentes de poder se embaralham neste segundo turno. Fica claro o interesse do tucano Alckmin, depois de ter vencido com seu pupilo João Dória já no primeiro turno na capital paulista, em ver o candidato de Aécio Neves ser derrotado em Belo Horizonte - a fim de fortalecer-se como candidato presidencial do PSDB em 2018. Em Porto Alegre o PMDB e o PSDB também disputarão o segundo turno.

No Rio de Janeiro, como viemos cobrindo diariamente e batendo recordes de acesso com o Esquerda Diário carioca, as pesquisas apontam a diminuição da brecha entre o representante da direita reacionária Marcelo Crivella do PRB, e Marcelo Freixo do PSOL. A aberração fundamentalista que representa Crivella mostra a cara da direita mais reacionária do país, ligada às milícias e às máfias capitalistas cariocas. Para derrotar essa direita, base do governo golpista, e transformar o Rio numa alavanca de luta contra o governo central de Temer, é necessário desenvolver um programa anticapitalista, operário e socialista, que viole os direitos de propriedade dos empresários que lucram com a miséria de milhões, numa capital que vive o descalabro dos serviços da saúde e da educação.

Freixo esteve longe desta orientação e mostrou ao contrário que busca uma relação próxima aos empresários, chegando a renunciar tratar do golpe institucional para pleitear as bases de votantes do PMDB de Paes. Se Freixo derrotou Crivella no último debate, não se pode dizer que tenha mudado sua postura, com um programa tímido de melhorias que nem pode ser aplicado integralmente a não ser que enfrentemos contundentemente a direita golpista e os patrões.

Os resultados no RJ tem grande transcendência nacional. Acompanhe conosco esta jornada eleitoral.




Tópicos relacionados

Eleições 2016   /    Política

Comentários

Comentar