Política

CRISE POLÍTICA

Acompanhado de Dória, Temer diz sair "fortalecido" da crise para votar as reformas

terça-feira 8 de agosto| Edição do dia

O presidente Michel Temer continuou nesta terça-feira sua busca por apoio à Reforma da Previdência. Na tarde de ontem, o Golpista compareceu a um evento com João Dória, prefeito de São Paulo, e já havia trocado elogios e dado declarações em prol das reformas. Na manhã desta Terça, o Presidente compareceu a outro evento, que dessa vez contou com a presença de Geraldo Alckmin (PSDB), Governador de SP e Rodrigo Maia, Presidente da Câmara dos Deputados.

Temer destacou em entrevista hoje que para o governo o mais fundamental é garantir a aplicação da Reforma que nos fará trabalhar até morrer, e ainda disse que se sente “fortalecido” para aplicar a Reforma da Previdência.

Também leia: Governo estuda aumentar o Imposto de Renda e mais pobres pagarão a conta

O ambiente do PSDB em São Paulo com relação ao Presidente no início desta semana também tomou ares de apoios declarados às reformas. Geraldo Alckmin, apesar de recentemente ter defendido que seu partido não ocupasse cargos no governo, disse na manhã de hoje que Temer e Maia poderiam “contar com São Paulo” para a aprovação das Reformas. Rodrigo Maia também deu declarações e disse que o “coração das reformas” que o país precisa é a Reforma Previdenciária.

também leia: Depois da ovada, Dória manda adversários para Venezuela (e aliados para Miami)

A Reforma da Previdência passou a ser para Temer, depois de conseguir barrar na Câmara as denúncias de corrupção, a prioridade para o segundo semestre no Executivo. O golpista declarou hoje que aplicar essa reforma é “prever o futuro”. O futuro que Temer quer é o futuro de descontar nas costas da classe trabalhadora a crise criada pelos de cima. Futuro esse que nos fará trabalhar até morrer que somado a Reforma Trabalhista precariza nossas vidas para que o lucro dos empresários não deixe de crescer.

Não podemos esquecer também o papel que cumpriram as Centrais Sindicais como a CUT e a Força Sindical, traindo a Greve Geral do 30J, imobilizando os trabalhadores, tornando mais fácil a tramitação das Reformas no parlamento. Precisamos agora que as centrais levantem um Plano de Lutas concreto contra as Reformas dos Golpistas, organizando os trabalhadores do pais inteiro. Não trabalharemos até morrer. Nossas vidas valem mais que o lucro deles!

Leia também: Conclusões da greve geral e as tarefas da esquerda revolucionária




Tópicos relacionados

João Doria   /    Reforma da Previdência   /    Reforma Trabalhista   /    Governo Temer   /    Reforma Política   /    São Paulo (capital)   /    Política

Comentários

Comentar