Sociedade

PORTO ALEGRE

Absurdo: presos são mantidos algemados em viaturas em Porto Alegre por falta de celas

De forma totalmente desumana, a Brigada Militar do Rio Grande do Sul mantém homens presos à céu aberto dentro viaturas em terreno precário por várias semanas. Uma barbaridade feita pelo governo do Estado e pela polícia militar.

quinta-feira 26 de setembro| Edição do dia

Em Porto Alegre, um terreno mal cuidado é usado pela Brigada Militar para manter dezenas de presos algemados dentro de viaturas. Foi revelado nesta quarta feira (25) em reportagem da Zero Hora, que os presos são mantidos a semanas no local de forma totalmente insalubre e totalmente desumana.

“A gente usa garrafa comunitária para urinar. Quando enche, o soldado escolta e a gente vira no mictório. Fazer o número dois é uma vez por dia. Estou há 20 dias aqui”, conta um preso de 31 anos que divide um porta-malas da viatura com outro homem.

As condições que os presos estão são extremamente absurdas. Eles acordam e dormem no mesmo assento dentro de porta-malas ou assoalho das viaturas e camburões. Como têm acessos controlado a chuveiro e privada, os detentos compartilham dentro dos veículos garrafas de plástico para poder urinar.

Os homens presos ficavam aos arredores do Palácio da Polícia Civil em Porto Alegre, e devido a lotação das celas foram levados para esse terreno onde aguardam vaga de celas nas penitenciárias. É um caso totalmente absurdo com a população carcerária, onde esse sistema deixa seus presos sofrendo com a superlotações na penitenciárias e quando não há mais lugares são tratados de forma totalmente desumana e mantidos presos em locais totalmente isalubre e de forma bárbara, numa política de encarceramento em massa da população pobre e negra, onde é uma política consciente por parte do governo assim como a política de extermínios dessa população das favelas e periferias do país, principalmente do Rio de Janeiro onde a polícia militar assassinou na semana passada a menina Agathade 8 anos.




Tópicos relacionados

Sistema Penitenciário    /    Rio Grande do Sul   /    Porto Alegre   /    Sociedade

Comentários

Comentar