Sociedade

PORTO ALEGRE

Absurdo: Manifestantes contra Bolsonaro são detidos em Porto Alegre

Em Porto Alegre neste domingo (03), um grupo de bolsonarista realizou um ato reacionário, pedindo intervenção militar e o AI-5. Um grupo de antifascistas apareceu no ato se manifestando contra Bolsonaro e foram detidos pela Brigada Militar.

segunda-feira 4 de maio| Edição do dia

Na tarde deste domingo (03), na Rua Andradas, em Porto Alegre, um grupo de apoiadores de Bolsonaro organizou uma manifestação reacionária pedindo a volta do AI-5, e intervenção militar para fechar o Congresso e o STF. Em um momento do ato, um grupo de manifestante antifascistas e contra a Bolsonaro, estiveram no local e estenderam uma faixa com os dizeres: “Renúncia Bolsonaro, chega de mortes!”. Onde os bolsonaristas foram intimidá-los e ocorreu uma confusão no qual acabou com a Brigada Militar detendo três manifestantes antifascistas alegando lesão corporal contra os bolsonaristas.

Isso é um grande absurdo e autoritarismo da Polícia Militar que reprime manifestante da esquerda e de movimento sociais enquanto manifestantes que defendem a volta da Ditadura Militar assim como toda a violência e torturas que ocorreram no período não são reprimidos por eles. Lembrando que algumas semanas esses mesmos bolsonaristas fizeram um ato também a favor da intervenção militar onde agrediram de forma violenta e covardemente uma mulher que estava de vestido vermelho com socos e pontapés, mostrando a barbárie que representa esses grupos de extrema direita alimentados com os discursos de ódio do Bolsonaro.

Até o momento que fechamos essa nota os manifestantes ainda estavam detidos. Repudiamos totalmente a ação da polícia em reprimir manifestante que são contrários a política negacionista de Bolsonaro que segue negligenciando com total descaso a crise sanitária no meio da pandemia que já matou mais 7 mil pessoas somente no Brasil.




Tópicos relacionados

Governo Bolsonaro   /    Extrema-direita   /    Rio Grande do Sul   /    Porto Alegre   /    Sociedade   /    Violência policial

Comentários

Comentar