Internacional

GREVE NA FRANÇA

AO VIVO| Começa nova jornada de greve e mobilizações na França

A greve do transporte e outros setores se mantém firme desde a última quinta-feira, 5 de junho, paralisando toda a França. Hoje são esperadas grandes manifestações.

terça-feira 10 de dezembro de 2019| Edição do dia

Trabalhadores dos trens, ônibus, metrô e aviões, além dos trabalhadores da educação e setores de empresas privadas, assim como as refinarias, se colocaram em greve contra a reforma da previdência de Macron, paralisando o país há quase uma semana, enquanto se preparava uma nova jornada de mobilização para esta terça-feira e greve nacional convocada pelas centrais sindicais CGT-FO e outros sindicatos. Na última quinta-feira (5), dia de começo da greve, se manifestaram até 1,5 milhões de pessoas nas ruas de todo o país.

Acompanharemos toda a jornada ao vivo e diretamente com nossos correspondentes em diferentes cidades da França.

Os ferroviários combativos de París: "continuaremos até derrubarmos esta reforma de Macron"

O jornal francês Liberatión informa sobre o clima combativo em uma assembleia de ferroviários na Gare du nord, uma das maiores estações de trens de Paris.

"Emmanuel Macron, vamos te foder com a tua reforma", "E são ardentes, e são ardentes, os ferroviários!" Os trabalhadores da SNCF chegaram ao centro da Gare du Nord ao meio-dia cantando e dançando, decididos a esquentar e colocar um pouco de brilho no movimento social. O restante do dia promete uma manifestação importante pelas ruas de Paris, já que com a ausência do transporte público, terão que caminhar bastante até o começo da manifestação, que será na praça Vauban. Não o suficiente para desanimar os trabalhadores ferroviários depois de uma assembleia geral realizada em 45 minutos cronometrados. A continuação da greve até a quarta-feira não foi objeto de debate, nem tampouco foi a consigna: a retirada total do projeto de reforma da previdência dirigido por Jean-Paul Delevoye.

"Não cairemos na armadilha da divisão e das negociações por ramo ou qualquer coisa coisa”. resume Karim. Anasse Kazib, ativista da Sud Rail, apoia: "Hoje temos que nos colocar na cabeça que podemos ganhar e que conseguiremos isso entrando em um movimento duro.” “Não tem como a burocracia sindical roubar este movimento da base!” Gauthier, delegado da FO, quer "pressionar" os maquinistas minoritárias que continuam trabalhando. “Mercenários que querem quebrar a greve”, diz.

Jornada de mobilizações

Começaram manifestações em várias cidades da França: Vannes, Rennes, Saint-Etienne, Châtellerault, Tours, Bayonne, Limoges, Guéret, Avignon, Privas, Bourges, Caen e Lille.
12:50. 150.000 personas marcham em Marselha
Muito numerosa a manifestação nesta cidade francesa, em um cortejo que começou as 11:30 e ainda não terminou.

12:10. Ferroviários París votam continuar a greve
Os grevistas ferroviários da Estação Norte de Paris (Gare du Nord) votaram há alguns instantes a continuidade da greve até conseguir derrubar o plano de contrareforma da previdência do governo de Macron.

12:00. Estudiantes secundaristas são reprimidos com gás lacrimogênio em Lille

11:30. Começam manifestações em Havre, Rennes e outras ciudades

Os combativos portuários de Le Havre se unem aos manifestantes no começo da manifestação nesta cidade, considerava a “capital da greve” em anos anteriores.

11:15. Refinarias paralisadas

Sete das oito refinarias francesas estão bloqueadas hoje, segundo a CGT.

São esperadas manifestações massivas a partir das 12 horas

É esperado que centenas de milhares de pessoas voltem a se manifestar nesta terça-feira contra o projeto de reforma da previdência de Macron. A greve se mantém massiva no transporte público na França, particularmente na região de Île-de-France, assim como em outros setores, incluindo a educação nacional e as refinarias.
O governo francês anunciará medidas concretas nesta quarta-feira

O ministro de governo francês Edouard Philippe apresentará nesta quarta-feira o “conjunto do plano do governo” para a reforma da previdência. Até agora não são conhecidas as medidas concretas do plano. O executivo poderia abrir mão de algumas medidas, para tentar assim dividir os sindicatos e desarticular a greve geral que começou no último 5 de dezembro. Também é informado por alguns mídias que poderia aumentar os salários dos professores e renunciar a medidas rápidas de cortes para equilibrar as contas. Estes anúncios serão estudados pelos grevistas, mas a reivindicação dos setores mais combativos é “nenhuma negociação” e que seja anulado o plano completo da reforma da previdência.

10:20. Paris. A polícia intervém em um piquete de greve

Professores, estudantes, trabalhadores dos ônibus bloqueiam a saída de carros desde a madrugada. A greve do transporte segue firme. ,

10:00: Olivier Besancenot (NPA): "Queremos lutar por uma vida depois do trabalho".

Entrevistado pela mídia Bourdin Direct, Olivier Besancenot, porta-voz do Novo Partido Anticapitalista (NPA) considerou que era melhor passar "uns dias de penúrias que ter uma aposentadoria miserável", uma frase muito utilizada para se referir a esta greve. Acrescentou que é necessário "lutar por uma vida depois do trabalho".

9:50. Professores e estudantes participam de piquetes para bloquear saída de ônibus.

Informa diretamente Homa (Revolution Permanente- Pão e Rosas França) para a Rede internacional Izquierda Diario.

9:30. As escuelas secundaristas piquetadas pelos estudantes

A maior parte das escolas secundaristas (lycées) estão sendo bloqueadas pelos estudantes nesta manhã. Assim acontece na importante Escola Hélène Boucher, próxima à Praça da Nação em Paris.

9:20. O transporte em Paris paralisado

Nove linhas do metrô estão totalmente paralisadas na capital francesa, os trens das proximidade funcionam apenas 1 em cada 3 linhas (segundo o que informa a própria empresa) e somente um quarto dos ônibus circula. Em vários setores já foi aprovado continuar a greve até a quarta-feira e outros até a sexta-feira. É uma dura greve contra o governo de Macron e seu plano de contra-reforma do sistema de aposentadoria. É uma dura greve contra o governo de Macron e seu plano de contrareforma do sistema previdenciário. Hoje nos encontramos na sexta jornada de greve total do transporte nas principais cidades da França.

As autoridades do transporte informaram que se acumula mais de 380 km de trânsito parado nas rodovias nos arredores de Paris, pelo aumento na circulação de carros.

8:50. Piquetes dos trabalhadores ferroviários

Desde as 5 da manhã os trabalhadores ferroviários realizam piquetes nos centros de manutenção técnica para impedir a saída dos trens de alta velocidade.

8:00. Portuários bloqueiam porto de Marsella

Os trabalhadores portuários estão bloqueando as instalações do porto comercial mais importante da França desde a madrugada da terça-feira.

7:00. Dos piquetes da greve

Alejandra Gómez, correspondente do Izquierda Diario, informa diretamente dos piquetes na greve sul de Paris. Os grevistas bloqueiam um depósito de saída de ônibus, com o apoio de trabalhadores de outros setores como os do serviço de estatísticas e censos, e jovens estudantes que se aproximaram na madrugada para oferecer apoio.

E greve se mantém firme desde a última quinta-feira (5). Nesta terça-feira se esperam grandes mobilizações.




Tópicos relacionados

Greve Geral na França   /    França   /    Internacional

Comentários

Comentar