Mundo Operário

REPRESSÃO DE DORIA

ABSURDO: professor aposentado de 64 anos é agredido na Alesp pela PM violenta de Doria

Nesta terça-feira (3), o professor de física José de Jesus Cherrin Fernandes foi covardemente espancado pela tropa de choque da PM. Ele estava na mobilização dos servidores contra a reforma da Previdência na Alesp, e mesmo sentado e sem nada nas mãos, foi recebido com gás de pimenta, bombas e borrachadas.

quinta-feira 5 de março| Edição do dia

O professor revelou que: “Aos 64 anos não tenho mais agilidade para ficar em pé. Eu estava sentado no chão e eles vieram que nem uma tropa de cavalos para cima de mim. Me bateram, me chutaram com coturno, e me deram cacetadas. E eu sem nada nas mãos, apenas com uma mochila nas costas”.

O “vândalo” (nas palavras de Dória, em tweet) também conta que “Escapei por milagre”, pois após a investida da polícia ficou “desnorteado” por vários minutos e se não fosse pela ajuda de dois professores que conseguiram o tirar de dentro do saguão da Alesp para fora, teria sido assassinado por espancamento.

Fernandes foi atendido no Hospital do Servidor Público, onde passou mais de 8 horas tomando medicamentos e fazendo exames.

“Como nas 8 chapas de Raio X apareceram fissuras em cima das costelas, a junta médica achou por bem eu ficar 5 dias em casa. Foi muito soro, anti-inflamatórios e medicamentos para dor. Demorou bastante a aplicação dos medicamentos. Após muita demora, houve constatação de fissuras leves nas costelas frontais do lado direito do tórax. Meu antebraço direito ficou muito inchado pelas borrachadas de cassetetes. Sinceramente, não sei como não houve fratura. Osso velho ainda com bastante cálcio, nem posso rir pois dói os machucados”, relatou.




Tópicos relacionados

Mundo Operário

Comentários

Comentar