Mundo Operário

MORTE EM FABRICA EM JACAREÍ

A verdadeira cara da cerveja da moda: morte de terceirizados e proibição da CIPA

sexta-feira 29 de janeiro de 2016| Edição do dia

1 / 1

Uma caldeira explodiu nessa quinta feira dia 28 de janeiro na fábrica da cervejaria Heineken, localizada na cidade de Jacareí, região do Vale do Paraíba, deixando como saldo dois operários mortos e outros feridos, sendo que pelo menos um desses feridos se encontra em estado grave, com queimaduras de terceiro grau, ambos os mortos eram operários terceirizados, que faziam testes nos equipamentos.
Após o acontecido, tanto o Sindicato dos Trabalhadores e Alimentação, que representa os trabalhadores e é filiado a CSPConlutas, como a CIPA foram impedidos de chegar ao local do acidente.

Foto da fábrica onde ocorreu o acidente

Segundo relatos, colhidos pelo Esquerda Diário, a explosão que ocorreu aproximadamente às 9 horas da manhã, foi tão forte que provocou grandes estragos na fabrica. A caldeira que explodiu abastecia o sistema de máquinas a vapor da cervejaria e estava sendo readaptado para funcionamento a gás no momento do acidente.

O sindicato dos Trabalhadores em Alimentação vem a muito tempo denunciando o ritmo insano na linha de produção da fabrica que vem se reestruturando e hoje conta com 400 operários, divididos em três turnos.

Segundo declarou Valter da Silva, diretor do Sindicato: “O Sindicato e os trabalhadores exigem uma apuração rigorosa do acidente e que a Heineken dê toda assistência às famílias desses trabalhadores”.

Nesta sexta-feira (29) o Sindicato da Alimentação promove um ato às 5h30 em frente à fábrica. A manifestação será em solidariedade às famílias das vítimas e em repúdio às precárias condições de trabalho na Heineken.

Infelizmente esse não é o primeiro evento desse tipo que Esquerda Diário divulga, nosso país é recordista em acidentes de trabalho, detém o terceiro maior número de mortes em trabalho no mundo, apesar de ter somente a quinta maior população do mundo, em sua grande maioria esses “acidentes” seriam facilmente evitados se os patões garantissem as mínimas condições de seguranças. Para garantir ainda mais seus lucros, estratosféricos, essa multinacional sanguinária, leva aos trabalhadores a exaustão, sem equipamentos de seguranças apropriados.

A propaganda de uma cerveja descolada, da moda, mostra sua verdadeira face: morte de terceirizados e proibição da CIPA exercer sua função legalmente garantida.
Exigimos a imediata investigação das causas e a punição dos culpados por mais essa perda de vida de operários.




Tópicos relacionados

Vale do Paraíba   /    Mundo Operário

Comentários

Comentar