Internacional

CORONAVÍRUS

A política de imigração racista dos Estados Unidos está propagando o vírus e não o contendo

Com base nos horrores existentes na fronteira, a administração de Trump está utilizando a pandemia como uma oportunidade para continuar promulgando políticas de imigração racistas e nacionalistas, até o ponto de ameaçar a deportar as pessoas inclusive depois de terem testado positivo para a Covid-19.

sábado 16 de maio| Edição do dia

A política de imigração dos Estados Unidos, tanto nas administrações democratas como nas republicanas, sempre foi racista e assassina, impondo violentamente a farsa das fronteiras em terras roubadas e protegendo o livre fluxo de capital, impedindo o livre fluxo de pessoas.

Nos últimos anos, tornou-se ainda mais mortal, já que as políticas ultranacionalistas de Trump e o fechamento de qualquer rota segura de entrada obriga deliberadamente as pessoas a arriscarem suas vidas para entrar nos Estados Unidos. Terrível, mesmo que não surpreendente, a administração de Trump está utilizando a Covid-19 como uma oportunidade para intensificar o ataque à imigração, tanto através de um endurecimento redobrado e das tentativas de uma proibição total.

Mesmo quando não há uma pandemia, o tempo gasto em custódia pelo ICE (Serviço de Imigração e Aduaneira, nas siglas em Inglês) pode ser uma sentença de morte. Sem dúvidas, com a Covid-19, não são somente os detidos por imigração ainda mais vulneráveis às infecções e doenças graves, se não que a falta de respeito do governo dos Estados Unidos pela vida dos migrantes põe em risco todo os presos na grande indústria penitenciária, enquanto as transferências entre as instalações de imigração e as prisões locais continuam, alastrando a Covid-19 de um lado ao outro.

Por exemplo, em um centro de detenção com fins lucrativos do ICE no Texas, 31 presos e 7 trabalhadores testaram positivo para a Covid-19. A nível nacional, há 800 casos confirmados em centros de detenção de imigrantes, um número que é quase definitivamente uma fração dos casos reais, já que o ICE se nega a testar a maioria dos imigrantes presos.

Depois de aglomerar as pessoas nas prisões com poucas opções de higiene e, frequentemente, sem acesso a instalações médicas uma vez que estão expostos a Covid-19, o ICE continua deportando as pessoas, não somente destruindo famílias e aterrorizando as comunidades como é de seu costume, senão que também propagando uma doença mortal a nível mundial, frequentemente aos países menos equipados para enfrentar a pandemia. Por exemplo, até que a resistência os fizesse mudar de rumo ao menos momentaneamente, o ICE planejou deportar cinco haitianos que já haviam testado positivo para a Covid-19 enquanto estavam presos.

A pandemia da Covid-19 tem criado novos problemas, porém mais que isso, tem escancarado os horrores existentes do capitalismo e seu legado de colonialismo, fronteiras que só existem para a classe trabalhadora e racializadas entre elas. A crise de imigração nos Estados Unidos é um problema que se aprofundou com a Covid-19, porém não se resolverá com o final da pandemia.

A única solução, durante a pandemia e depois, é eliminar todos os campos de concentração, abolir todas as forças anti-imigrantes, abrir as fronteiras, proporcionar direitos sociais e políticos plenos para os migrantes e por fim ao imperialismo estadunidense.

Esse artigo foi publicado na página Left Voice, edição estadunidense da rede internacional Esquerda Diário do qual o oferecemos sua tradução em português.




Tópicos relacionados

Coronavírus   /    Racismo   /    Imigrantes   /    Donald Trump   /    Internacional

Comentários

Comentar