Gênero e sexualidade

CRÔNICA

A mulher, a escola e um sonho

Raíssa Gabriela Leite

Secundarista de Campinas

quarta-feira 10 de agosto| Edição do dia

Acordo de noite, assustada, tudo escuro. Era meu pesadelo as luzes apagadas da rua, eu sozinha voltando da escola tarde da noite, passando pelo teatro, local típico de assaltos e estupros pelo bairro. Carrego minha mochila nas costas, símbolo do feminismo desenhado nela. Vejo vultos pela escuridão da rua tentando me pegar. Abro os olhos, tudo continua escuro. A consciência vem à tona: Foi só um sonho, só um sonho...

Mas na realidade, esse sonho é o que enfrento quase todos os dias voltando da escola e é o que muitas mulheres enfrentam nas ruas, o medo de andar sozinha e ser estuprada, ser tomada como algo inferior por outro ser possesso de sua cultura. O meu exemplo é a realidade de muitas mulheres que o estado não dá o direito nem ao próprio corpo negando direito de decidir e ao mesmo tempo o coloca na mão de uma policia assassina, que está nos portões das escolas públicas para reprimir os estudantes tratando que nem lixo, esculachando, humilhando, assassinando. Sinto dizer tanto, mas poderemos ser estupradas até mesmo por esses cães de guarda do Estado, que fazem o que querem na periferia, só por estarem armados, pensam que são autoridade, que estão acima de todo o respeito.

E no final das contas os caminhos se dividem, pra irmos para nossas casas. E algumas têm de seguir sozinha. Tem de lidar com o medo e os homens mexendo na rua, a realidade da sociedade consumida pelo machismo. E as mulheres trans, tendo de lidar com o ódio de homens, que tacam bomba na saída e entrada da escola, muitas vezes para acertar nelas, de graça, pra ver quem tem a mira boa.

É triste a realidade, mas não podemos nem discuti-la nas salas de aula, querem nos calar. Não podemos discutir o que será feito de nós. Não podemos pensar nossa segurança e nos negam um futuro longe desse, negam o pensamento de outra sociedade, negam conhecimento. E por isso tomaremos esse com nossas mãos, juntas, lutando pela emancipação do ser humano, para transformar a escola, a vida,o mundo, queremos REVOLUÇÃO!




Tópicos relacionados

Machismo   /    Violência contra a Mulher   /    Gênero e sexualidade   /    Juventude

Comentários

Comentar