Mundo Operário

GREVE HISTÓRICA

A greve histórica dos municipários de Cachoeirinha/RS continua!

Em assembleia lotada, a categoria decidiu pela manutenção da greve, que já está na sua oitava semana, contra os ataques do governo de Miki Breier (PSB). Reproduzimos aqui o boletim de greve publicado pelo Sindicado dos Municipários de Cachoeirinha/RS.

quarta-feira 26 de abril de 2017| Edição do dia

Boletim de Greve – 21/04/2017

RESISTÊNCIA E SOLIDARIEDADE PARA VENCER NA GREVE

Nessa sétima semana de greve foi realizada uma das maiores assembleias da história da categoria dos municipários, reunindo cerca de 600 servidores, sindicatos apoiadores e comunidade escolar. A decisão tomada foi por ampla maioria, ou seja, 98% dos presentes votaram pela continuidade da greve rejeitando a proposta do governo. A trégua de 60 dias com o adiamento da vigência do pacote e constituição de um grupo de trabalho para negociação foi uma proposta que acabou caindo por terra quando o próprio governo impôs a punição com o corte nos salários por dois meses consecutivos. Portanto, a trégua passou a ser um engodo nos termos em que estava sendo proposta.

Após ser comunicado oficialmente sobre o resultado da assembleia, o governo diz ter sido pego de surpresa com a decisão tomada. Além disso, finge desconhecer as contrapropostas apresentadas pelo sindicato e vai empurrando com a barriga qualquer negociação para ganhar tempo tentando desmobilizar a categoria. O retorno prometido para a última quinta foi adiado para a próxima segunda-feira, dia 24/04.

Diante da carestia de vida com o corte nos direitos e nos salários, a solidariedade tem sido a resposta imediata para a manutenção da sobrevivência dos municipários e da greve. Centenas de cestas básicas tem sido distribuídas ou adquiridas através do apoio mútuo entre municipários e sindicatos de outras categorias. Na plenária ocorrida nessa quinta, dia 21/04, foi autorizada a devolução do imposto sindical para os municipários que estão em greve, fixando um valor de R$ 50 para cada trabalhador (a), sem desigualdade. Pela lógica do apoio mútuo, os colegas com maiores dificuldades financeiras estão recebendo um suporte daqueles que doam o seu imposto sindical, fazendo com que contas atrasadas, aluguéis e outras emergências sejam respondidas pela solidariedade de classe. Nesta segunda-feira terá continuidade a devolução do imposto sindical que será feita dentro das atividades da programação de greve.

GREVE GANHA PROJEÇÃO NACIONAL E INTERNACIONAL
E GOVERNO TENTA VIRAR O JOGO COM APOIO DA MÍDIA MARROM

Após a covardia do dia 30 de Março, a greve dos municipários de Cachoeirinha ganhou projeção nacional. Para além disso, durante este mês de Abril tem ocorrido uma articulação de solidariedade que ultrapassa as fronteiras. O primeiro sindicato a manifestar apoio foi a União Nacional dos Trabalhadores Metalúrgicos e Ramos Afins do Uruguai. A partir deste mês, a campanha de solidariedade e apoio financeiro está sendo pautada nas centrais sindicais da Europa e dos Estados Unidos.

Na mesma data em que o governo é comunicado oficialmente sobre a decisão da assembleia, o Prefeito Miki Breier e o presidente da Câmara Marcos Barbosa também são comunicados oficialmente da “Audiência Pública para esclarecimentos sobre o pacote de medidas que tiram direitos dos servidores municipais do Município de Cachoeirinha/RS” que ocorrerá em Brasília na Câmara Federal no dia 26/04. Ambas notícias desagradaram ao governo às vésperas do feriado e para desviar o foco o Prefeito Miki Breier decidiu estar fora da prefeitura nesse dia para receber as ambulâncias junto ao Secretário da Fazenda do Estado do RS, Sr. Giovani Feltes, o porta voz da desgraça do Governo Sartori.

Na tentativa de virar o jogo antes da oitava semana de greve, os lacaios da mídia marrom plantam as notícias que precisam dar sentido à despesa do governo com publicidade. Primeiro o Procurador Geral do Município ventila interdito proibitório para vedar manifestações em frente à prefeitura e coincidentemente é insinuada a ilegalidade da greve. Logo após, o tráfico de informação privilegiada entre o judiciário e a mídia que opera a favor do governo, vazam o indeferimento de liminar do SIMCA que questionava o ilegal corte na remuneração no percentual superior a 30%. Sobre essa decisão, negando o direito dos servidores de ter parcelado o desconto dos dias de paralisação, infelizmente vai ao encontro da conduta geral do poder judiciário brasileiro. Um poder que tem se caracterizado pela retirada de direitos, inclusive, decidindo contra a Constituição Federal quando retira e fragiliza o direito de greve de inúmeros trabalhadores e trabalhadoras. A decisão vai contra a jurisprudência do Superior Tribunal de Justiça, inclusive. O jurídico do SIMCA recorrerá dessa decisão absurda e política, que busca muito mais legitimar governos que punam os trabalhadores do que assegurar o direito à uma remuneração digna.

Além disso, repudiamos as sucessivas publicações que o Site O Repórter têm veiculado sobre o nosso movimento. Desde a greve contra o parcelamento dos salários em setembro de 2016, esse veículo de mídia sempre teve uma abordagem tendenciosa e criminosa sobre o sindicato. Portanto, não temos motivos para dar qualquer depoimento para um veículo que sobrevive em colaboração com o governo. Isso não é jornalismo e tampouco merece nosso respeito!

A LEGITIMIDADE DA GREVE PERTENCE AOS QUE LUTAM!
ABAIXO A MÍDIA GOLPISTA! NÃO PASSARÃO!
CERCAR DE SOLIDARIEDADE OS QUE LUTAM!
APOIO MÚTUO PARA COMBATER A CARESTIA DE VIDA!
É GREVE ATÉ A VITÓRIA!


PROGRAMAÇÃO DA OITAVA SEMANA DE GREVE
SÁBADO, DIA 22/04
Das 10h às 16h – Ações solidárias, oferta de serviços e programação cultural junto à comunidade da Praça da Juventude
SEGUNDA, DIA 24/04
8h Concentração em frente à prefeitura
10h Ato Público com apoiadores
12h Almoço Coletivo
18h Plenária do Comitê de Solidariedade no CMAEEL
TERÇA, DIA 25/04
Programação a definir
QUARTA, DIA 26/04
12h Audiência Pública em Brasília
QUINTA, DIA 27/04
Tarde: Reunião do Conselho Municipal de Educação (Calendário Letivo e FUNDEB)
SEXTA, DIA 28/04
GREVE GERAL




Tópicos relacionados

Porto Alegre   /    Mundo Operário

Comentários

Comentar