Educação

GREVE DA EDUCAÇÃO NO RS

A greve dos professores escancara a verdade: Sartori mente para a sociedade

Enquanto o governador Sartori (PMDB) descansa em um luxuoso hotel na praia do Costão do Santinho (Florianópolis) – após tirar uma licença saúde alegando “estresse” – o governo do estado larga uma nota mentirosa e mal intencionada sobre a greve do magistério, no intuito de jogar a sociedade contra os professores, estes sim, sofrendo e adoecendo de fato, sendo massacrados e humilhados nos últimos 22 meses com parcelamentos de salário.

Jones Adriano Gaio

Professor da rede estadual do RS

terça-feira 19 de setembro| Edição do dia

A crise no RS faz parte da crise mundial do capitalismo que afeta o país. O capital internacional, visando maiores lucros, quer transformar o Brasil em uma grande colônia de mão-de-obra barata e fornecedora de matéria prima a baixos custos. Enquanto a classe trabalhadora sofre com o desemprego e a precarização do trabalho, os bancos e os mega empresários enriquecem cada vez mais. Os capitalistas querem que os trabalhadores paguem os custos da crise que eles mesmos criaram.

Sartori, que foi eleito para satisfazer os interesses dos grandes empresários, utiliza-se do parcelamento de salários, como forma de chantagem política, alegando que não tem dinheiro para pagar os professores e funcionários, caso a ALERGS (assembléia legislativa), não aprove o pacote de ajustes que o governo corrupto e golpista de Temer (PMDB) quer impor ao estado com privatizações, congelamentos de salários e retirada de direitos dos trabalhadores. Se Temer está a serviço do capital internacional, Sartori é o braço de Temer aqui no estado.

Os salários estão sendo pagos a conta gotas. Há 22 meses é a mesma tortura econômica e psicológica para os professores, pois não se sabe se vai ter dinheiro para pagar as contas. O 13º salário de 2016 também ainda não foi pago. Devido ao parcelamento dos salários, muitos professores estão com enormes dividas com o banco, não tendo condições materiais nem mesmo de se locomover até a escola.

É um verdadeiro jogo sujo do governo para forçar o desmonte no serviço público estadual e largar nas mãos da iniciativa privada que busca lucrar com a crise. Sartori foi eleito com objetivos políticos bem claros. Está a serviço dos grandes capitalistas, bancos e investidores. Se não fosse isso, porque não é cobrada a sonegação de impostos e as isenções fiscais dos grandes empresários que somam quase 20 bilhões?

Portanto, o parcelamento dos salários dos professores é VONTADE POLÍTICA do governo. Quem divide a sociedade gaucha é Sartori que governa para os ricos e não para os que vivem do seu trabalho.

A greve cada vez ganha mais força. Todos os dias, novas escolas estão parando e os atos e manifestações se multiplicam em cada bairro, em cada escola. Com o apoio dos estudantes e da sociedade os professores poderão vencer essa luta pela defesa da escola pública e da educação de qualidade.




Tópicos relacionados

Greve Professores RS   /    Porto Alegre   /    Caxias do Sul   /    Educação   /    Mundo Operário

Comentários

Comentar