Sociedade

TRABALHO ESCRAVO EM GOIÁS

A face mais cruel do capitalismo: novamente encontrado trabalho escravo no Brasil

Mulheres, homens e crianças negras, em trabalho super explorado em campos de café.

terça-feira 14 de agosto| Edição do dia

Foto: Lilo Clareto

De 30 de Julho a 03 de Agosto em Sítio D’Abadia, no interior de Goiás, ocorreu uma ação fiscal junto com a participação MPT, do Ministério do Trabalho, da Polícia Rodoviária Federal e da Defensoria Pública da União. Resgataram 86 trabalhadores de condições extremamente precárias e sub humanas de trabalho, remetendo aos tempos escravistas no período colonial no Brasil mas absurdamente ainda encontrado às centenas pelo interior do país.

Os trabalhadores eram recrutados no interior da Bahia e Minas Gerais, chegando no campo eram expostos as piores condições de trabalho; dormiam no chão, mulheres e crianças, e eram expostos a agrotóxicos quando estavam na colheita do café, sem qualquer EPI, por um valor miserável em comparação ao nível de exploração.

Após a ação fiscal, os trabalhadores receberam uma indenização e seguro desemprego. Os donos de terras receberam como proposta do MPT o pagamento de 61.400 de danos individuais e morais aos trabalhadores, porém a proposta foi recusada. Contundo caso os proprietários persistirem com a recusa, MPT vai recorrer na justiça para uma indenização devida aos proprietários de terra, com danos coletivos e indenização individual aos trabalhadores.

O capitalismo se estruturou com a exploração do povo negro e se mantém com a exploração dos mesmo. O fim da escravidão não garantiu melhores condições de vida para todo povo negro, os negros ainda são super explorados no capitalismo. Basta de negros e negras em trabalho escravo no Brasil.




Tópicos relacionados

Trabalho Infantil   /    Trabalho Escravo   /    Trabalho Precário   /    Sociedade   /    Mundo Operário

Comentários

Comentar