Educação

ATUALIDADE

A enorme importância das Ciências Sociais e das Humanidades

Após Bolsonaro ameaçar atacar as Ciências Humanas no Brasil, afirmando que quer diminuir investimentos nos cursos de filosofia e sociologia por não ter "retorno imediato" como medicina, enfermagem e veterinária (que vão servir ainda mais para o agronegócio e para transformar o país em uma fazenda estúpida), traduzimos uma discussão argentina que vale muito para o contexto atual para entender a importância dessas áreas.

sexta-feira 26 de abril| Edição do dia

No final do século XIX, com a consolidação do capitalismo como sistema dominante, foram criados na Escola Europeia de Altos Estudos, o ensino do conhecimento humano que ia ser dividido em três secções: humanidades, ciências naturais e ciências sociais.

A primeira, humanidades, compreendia línguas clássicas e línguas modernas, literatura, filologia, pedagogia, lógica, psicologia, ética, filosofia, entre outros. A segunda área continha Ciências Naturais ou Exatas, abrangendo matemática, física, química e biologia. Na terceira área residiam as ciências sociais, políticas e jurídicas, e incluíam todas aquelas que tinham fenômenos sociais como base ou objeto.

Um dos objetivos da criação da Escola de Estudos Superiores, foi que as diferentes áreas convergem em um nível superior e, assim, geram a ideia de uma ciência de ponta.

No século XX, as necessidades do sistema capitalista levou à redefinição das áreas de conhecimento, enriquecendo um lado do campo humanístico e social e, por outro, a promoção do desenvolvimento tecnológico e das ciências exatas.

Desde a primeira metade do século XX, em meio a uma enorme precariedade da vida (no contexto das duas guerras mundiais), ciências humanas e sociais estavam desenvolvendo campos de conhecimento cada vez mais complexos, a construção de novos objetos de estudo e afinando sua metodologia, pondo aprova muitas de suas ideias.

Ciências Sociais tentando explicar a realidade complexa

Na sociedade capitalista contemporânea, existe uma imagem muito difundida da ciência como sinônimo de Ciência Natural ou Exata. Há uma visão positivista da ciência que busca uma relação direta entre o conhecimento real e certas leis imutáveis da esfera social.

Também a partir de certas abordagens da Ciências Sociais como uma ciência “natural” que buscavam justificar a ordem social capitalista a partir de uma suposta "natureza humana", destinada a competição e o individualismo. Entretanto, ao mesmo tempo, há posições críticas nessa área do conhecimento que compreendem a realidade de forma dinâmica e mutável, onde não há uma natureza preconcebida e onde os seres humanos estão sujeitos a transformações políticas e sociais.

Agora, quando falamos de ciências sociais nos referimos a um número de disciplinas que compartilham um denominador comum: o estudo do homem, a organização coletiva, estruturas e relações sociais entre os seres humanos, a forma como é produzido e reproduzida a sociedade e o próprio sujeito. Cada Ciência Social tem um objetivo específico de estudo.

As ciências sociais são disciplinas intelectuais que estudam o homem como ser social através de métodos científicos. Eles têm um foco específico no ser humano como um membro da sociedade e nos grupos e sociedades que ele forma. Seu escopo é tal que permite fazer previsões sobre certos comportamentos ou tendências sociais, incorporando ferramentas e estatísticas matemáticas.

A multidisciplinaridade é um elemento chave para entender o funcionamento das Ciências Sociais. As fronteiras entre cada disciplina como a sociologia, a ciência política, antropologia, economia, pedagogia e psicologia, são muitas vezes difusas e ligadas por várias arestas.

Isso acontece porque essas ciências buscam gerar respostas para uma miríade de problemas sociais e, portanto, requerem uma apropriação das ferramentas ou categorias de análise que outras Ciências Sociais constroem.

As Humanidades e o ser humano como criador

As humanidades nas palavras do renomado escritor Leon Portilla são o conhecimento de quem temos sido, é um conhecimento que se relaciona de maneira mais íntima com os seres humanos. Eles abrangem diversas expressões do comportamento humano, de criações literárias como formas de descrever, explicar ou conceber o mundo para a objetificação do espírito humano nas artes.

Você pode acompanhar mais adequadamente desde o Renascimento, altura em que o homem saiu da obscuridade intelectual a que ele foi submetido pela igreja e reis, para avançar para refletir e questionar o modo de vida da sociedade.

O objetivo das ciências humanas não é orientado na busca de leis universais, como é o caso da ciência natural, o que não a impede de poder interagir e estabelecer relações como essa, enquanto se move muito estreitamente com as ciências Sociais na reflexão do sujeito, sociedade, espaço e tempo em que a ação social ocorre.

É um conhecimento que, no sentido "inverso", tem como principal objetivo e tarefa a transmissão das elaborações da inteligência humana. O trabalho das ciências humanas, como história, filosofia ou letras gira em torno de textos, o seu trabalho é feito com a análise, produção e transmissão de conhecimento dos seres humanos e as sociedades pré-modernas para tentar compreender o presente e pensar em possibilidades para o futuro.

Nas Ciências Sociais os textos atuam como andaimes, enquanto para as humanidades os textos são objeto de estudo em si. Através da Literatura, da Filosofia, da História ou das Artes, as Humanidades conseguem construir a vida no presente levando em conta o que os outros pensaram, viveram e deixaram por escrito. As humanidades representam o significado da vida.

O desenvolvimento da ciência natural ou social está intimamente ligado às humanidades, pois para poder pensar cientificamente, é sempre necessário pensar a partir de uma concepção histórica e filosófica, identificar os limites da capacidade humana que permite o desenvolvimento do conhecimento.

Suprimir as ciências sociais e humanas da educação é sinônimo de decapitação cultural da juventude. Numa sociedade onde 65 famílias têm o equivalente a 3 milhões, onde há claramente uma classe que domina o resto e que tem a sua disposição a casta política, as Ciências Sociais e Humanas são perigosas, podem gerar reflexões, podem reproduzir ideias revolucionárias, podem enfrentar as ideias que são mostradas como as únicas e inapeláveis. Eles podem ser germes de rebelião.




Tópicos relacionados

Educação   /    Universidade   /    Educação

Comentários

Comentar