LAVA JATO

A acusação que admite não ter provas: Léo Pinheiro é a inovação da Lava-Jato

sexta-feira 21 de abril de 2017| Edição do dia

Estampando a capa da imprensa golpista, o ex presidente da empreiteira OAS, Léo Pinheiro afirmou a Sergio Moro que Lula tratou diretamente sobre caixa 2 e propina com Lula e na mesma frase afirmou também que destruiu as provas à mando deste, em um inovador tipo de acusação que poderia ser homologado futuramente pelo Ministério Público sob o ainda inexistente termo jurídico da “delação de fé”.

Segundo Léo Pinheiro, Lula teria insistido sobre Vaccari: “ Você tem algum registro de algum encontro de contas feitas com João Vaccari com vocês? Se tiver, destrua”, em seguida o ex presidente da empreiteira OAS afirma “acho que quanto a isso não tem dúvida”.

Léo Pinheiro também confirmou a sempre requentada história do Triplex, que Marisa e Lula teriam lhe solicitado a customização em visita ao tal triplex do edifício Solaris. Léo está negociando um acordo de delação com o Ministério Público, e a defesa de Lula alega que as acusações seriam falsas e parte do acordo para que o MP homologue as delações do ex presidente da empreiteira.

A Lava-Jato começa mais uma fase de inovação em seus inquéritos, parte de uma diversa teia de mecanismos arbitrários como delações premiadas e conduções coercitivas, e agora com o “testemunho de fé” do acusador que admite não ter provas, e tudo é noticiado pela imprensa golpista com sabor de coisa requentada.
Porém, jamais na história deste Esquerda Diário aconselharemos qualquer pessoa a botar a mão no fogo por Lula, aquele que sempre denunciamos ser um tremendo pelego que governou para todos estes empreiteiros e os fez bater recordes de lucro explorando os trabalhadores do Brasil. Trabalhadores que desde antes de ser eleito, Lula já vendia para a patronal, fato que qualquer trabalhador mais consciente está careca de saber, mas que a Lava-Jato apresentou como se fosse a descoberta da pólvora com a delação de Emilio Odebrecht ou a de Henrique Valadares dizendo que pagava pedágio à CUT

Leia também: Paulinho da Força ganhava uma bolada para ser pelego

Os interesses por trás dessas delações e o noticiário golpista é tentar enfraquecer os sindicatos para o dia 28/04 quando está convocada mobilização nacional contra a reforma da previdência. Obviamente, tem como ajuda os próprios burocratas das centrais sindicais (CUT, CTB, Força Sindical) que, em todo este período de mais de um mês de trégua para os golpistas, deixaram passar a terceirização irrestrita, o pacote de ataque aos estados e agora a reforma trabalhista que foi decidida como urgência pelo congresso e irá para Comissão Especial na terça.

Por isso nós do MRT defendemos lutar pela base para não trabalhar até morrer, por uma efetiva greve geral no dia 28, construindo comitês de base e auto-organização para impor que este dia não seja uma paralisação rotineira e festiva como os burocratas defensores do “Lula 2018”, no caso a CUT e a CTB, querem; ou ainda como uma forma de negociar reformas “estilo Paulinho” da Força Sindical, também querendo rifar os trabalhadores para o golpista Temer.

Leia também: Por uma greve geral efetiva: lutar pela base para não trabalhar até morrer




Tópicos relacionados

Operação Lava-Jato   /    Lula   /    Rio de Janeiro

Comentários

Comentar